Amigos:

13 de dez de 2016

Das tradições de cada um

Todo o planeta tem sua tradição natalina... ok! Super compreendo.
Pro mundo todo dia 31 de dezembro é dia de refletir e decidir o que se quer mudar, dia 24 de dezembro é dia de celebrar isso ou aquilo... mas, ao longo dos anos, instituí minha própria tradição de fim de ano instituindo o dia 13 de dezembro, como o dia de dar um brake no hohoho.
De que nos vale ter um mês de “hohoho” e “best wishes”, se retomamos toda a lavagem da vida em janeiro?
O fato, meus caros, é que não sou um grinch e não pretendo estragar o natal de ninguém. Por isso mesmo o dia 13... dá tempo de digerir tudo e ainda começar um planejamento real de “hohoho” e “best wishes” a perder de vista.
Mas vamos lá... todo ano, no dia 13 eu falo um pouco das coisas que são mas não deveriam ser. Este ano tenho mais disso pra falar do que nos anteriores, dadas as cenas que andei presenciando. No entanto, este ano é o que eu menos tenho vontade de falar. Todos vocês já sabem o que penso sobre o longo período que se estende da prévia do verão ao fim do carnaval em que os brasileiros se tornam autômatos, quase zumbis, deixando de prestar atenção no que de fato faz diferença... é um quarto do ano em que estamos ocupados demais em festejos pra prestar atenção na vida real. Mas ela não espera por nós... ela segue! Quem tem fome continua com fome, quem tem dor continua com dor e nós, bem, estamos ocupados em um torpor estranho que leva a uma condição quase bestial. Sim. Não foi figura de linguagem. Se o que nos diferencia dos animais é a condição de percebermos o mundo ao nosso redor e teorizarmos o que segue adiante na linha do tempo, de forma a sermos capazes de empreender e planejar a vida de formas mais seguras e produtivas, o que nos faz diferentes dos animais neste 1/4 de ano quando optamos por não pensar, não querer, não planejar ou perceber nada?
O que me perturba não é a capacidade de vivenciar o momento... é que esquecemos a habilidade multitarefa que nasce conosco e abstraímos todo o resto!
Não pensem que isso é uma visão amarga ou pessimista de alguém sem espírito natalino... Não é amargor nem desistência... afinal, se tivesse desistido de fato, não estaria aqui a bradar, todo santo dia 13/12 ACORDEM! Enquanto vivemos a letargia das festas o congresso se ocupa de ratos que devoram nosso futuro e mudam os direitos que você TINHA! ACORDEM! Enquanto vocês curtem o jingle bells, milhares de mulheres, crianças, homossexuais, negros, indígenas e deficientes tentam sobreviver sem muitas chances na Jungle Real... E se depois de tudo isso não acordaram... bem.... eu tenho complexo de Pollyana.... e estarei aqui pra gritar PAREM DE HOHOHO no ano que vem....
Feliz natal e, que nenhum de vocês precise de aposentadoria ano que vem!