Amigos:

1 de mar de 2013

Sou Borderline

Há cerca de um mês me descobri diagnosticada com o transtorno de personalidade Borderline. Como se deu isso? Após o término de meu namoro de 5 anos, fiquei por cerca de 12 dias em casa, sem comer, bebendo alucinadamente e tomando todos os remédios que eu tinha em casa, de Rivotril a Dramin. Algo me fazia não me matar de uma vez, ao invés disso preferi me matar aos poucos.

Já fazia terapia e fui convencida pela minha psicóloga a ir a uma psiquiatra. Lá então descobri meu problema e, depois de ler sobre o assunto, percebi que a descrição de um borderline é praticamente a estória de minha vida: impulsiva, que ia de mudar de cidade em um mês a esbanjar o dinheiro que tinha/tenho, auto-depreciativa, carente ao extremo, sufocando amigos, desesperadamente apavorada pela ameaça de solidão. Isso sem contar os episódios que aconteceram há alguns anos, quando eu me cortava com uma faca quando sofria pelo meu primeiro namorado, pois achava que a dor física era mais suportável que a da alma. Bem, isso eu ainda acredito.

Atualmente estou tomando medicações, indo a terapia 2 vezes por semana, porém estou a mais de um mês praticamente sem sair de casa. Larguei uma oportunidade de emprego, meus amigos, bem, ou eu os afastei ou eles se afastaram de mim, meu ex-namorado não fala muito comigo e quem fala acha que estou assim simplesmente porque meu relacionamento terminou.

Resolvi escrever este blog porque eu costumava ter outros, era uma terapia para mim... Porém aos poucos fui largando... E encontrei tantos outros blogs de pessoas que sofrem do mesmo problema que eu que resolvi me juntar a elas e escrever aqui o que eu não posso falar em voz alta. A dor que me consome ainda, uma "areia movediça de sombras" (citando "Garota Interrompida") que me engole e suga minha vontade de viver. Sobrevivo dia a dia, com alguns altos e muitos baixos, a me perguntar quando ou se terei uma luz no fim do túnel.

2 comentários:

  1. Olá!
    Naty
    Tudo bem?
    um grande e importante passo... reconhecer seu comportamento que está te afetando e principalmente a todos que a rodeiam.Quando estas coisas acontecem, as pessoas quase sempre optam por viver na solidão. Inicialmente, este é apenas um mecanismo de enfrentamento que temos como seres humanos para diminuir a dor, mas ao permitirmos que a tristeza e desilusão nos engula o prazer da vida, não vivemos... Já está tomando remédios e faz terapia, e é muito louvável a sua atitude em escrever um blog para juntar a tantas e tantos outros com o mesmo transtorno. É muito importante esse compartilhamento...
    vim agradecer o carinho de sua visita
    Belo domingo
    Boa semana
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Parabéns! Seu blog é lindo!!
    E naturalmente, parabéns por estar empenhada no seu tratamento!
    Como sempre digo: Admitir o problema é o primeiro passo para a cura!

    Bjos e obrigada pela visita!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.