Amigos:

28 de mar de 2013

Borderline e a auto-imagem




Eu passei o dia inteiro lendo e vendo vídeos sobre o TPB, que me deu várias idéias para posts. O primeiro deles será falando sobre auto-imagem.
O indivíduo Borderline precisa da opinião e aceitação do outro para definir quem é. Temos um problema de aceitação e confiança em nós mesmos, fora um problema com a própria identidade. Sem saber quem somos, o outro nos define. Por isso é tão grande o problema com a rejeição, pois o abandono, real ou imaginário, significa uma perda de nós mesmos, visto que o outro muitas vezes nos define.

Queria falar um pouco da minha experiência sobre isso. Desde criança sou gordinha, muitas vezes muito gordinha, as vezes pouco. Tenho uma mãe que é muito ligada ao corpo e estas idéias acabaram por meio que me traumatizar um pouco. Sou colocada em dietas desde que me entendo por gente, desde comer só frutas à contagem de calorias diárias. Não como legumes nem verduras e, hoje em dia, os associo com dietas, pois era a única hora em que eu me via obrigada a comê-los. Sofri muito na minha pré-adolescência e adolescência, pois na escola eu sempre fui o patinho feio. As crianças colocavam apelidos em mim, riam, eu quase não tinha amigos, minhas paixonites eram sempre pelo menino mais lindo da escola, que não me dava a menor bola, obviamente. Sofria muito bullying calada, e cada vez mais acreditava que você precisava ser magra para ser feliz.

Minha mãe não me ajudava muito. Ao me colocar em intermináveis dietas, reforçava o quanto eu era imperfeita aos olhos do mundo. Até hoje, se alguém me chama de bonita, eu não acredito. Lembro de uma vez em que ela me obrigou a comer espinafre, eu querendo vomitar e ela insistindo.

Sempre me liguei aos outros excluídos das turmas, pois neles eu encontrava um pouco de aceitação. Com 15 anos me mudei de Brasília para Recife. Foi então que este bullying diminuiu um pouco, eu me aproximei de duas pessoas que também eram excluídas a seu modo, mas com a ajuda delas acabamos por construir uma estória na escola. Mas mesmo assim, nunca havia beijado ninguém.

Com 17 anos conheci meu primeiro namorado, cuja estória contei neste post aqui e para mim foi um mundo novo. Alguém que me amava, apesar de eu ser gorda! Porém eu sempre tive o medo que ele me trocasse por outra, principalmente mais bonita do que eu. Eu já morava em Curitiba nesta época. Bem, terminamos e minha insegurança aumentou. Porém tive a sorte de conhecer muitas pessoas legais que não se importavam pelo fato de eu estar acima do peso. Conheci outros meninos, beijei muito, namorei... Mas sempre com aquele pensamento que eu era gorda e que em qualquer momento iriam me deixar pelo fato de eu não me encaixar no padrões de beleza "aceitáveis".

Voltei pra Recife, foi tudo difícil pois sentia falta de meus amigos, comecei a ter a idéia fixa de me mudar até que... conheci meu ex-namorado. Ele é uma pessoa extremamente cativante, cabelo longo, toca violão, enfim. Muito político e preocupado com a opinião das pessoas, tanto que toda vez que eu contava a alguém o quanto ele era grosso e insensível, as pessoas se espantavam e diziam: "nossa, eu nunca podia imaginar!!". eu me sentia insegura 90% do tempo, como se qualquer menina com um corpinho mais esbelto pudesse tomá-lo de mim. Não ajudou muito o fato dele ter seus problemas com sexo e ficarmos 1 ano sem relações. Minha auto-estima, já baixa, foi pro chão.

E é assim que ela continua. Como falei acima, o border precisa da opinião das pessoas para definir seu "eu" e, as opiniões que eu tinha eram muito negativas. Meu ex não me elogiava muito, minha mãe... Bem, minha mãe continuou a mesma. Lembro de estar indo ao trabalho e ela me ver com um vestido e dizer algo como: "nossa, se você estivesse 5 quilos mais magra ia ficar tão melhor!" ou "murcha esta barriga!". Estes comentários acabavam com meus dias, pois me sentia feia e gorda.

Na verdade ainda me sinto assim. Mesmo tendo perdido muitos quilos nessa minha depressão, ainda me sinto feia. Tenho certeza que meu ex está com alguém mais bonita e principalmente mais magra do que eu. Olho no espelho e vejo alguém sem atrativos, nada além de belos olhos verdes (a única parte de mim que admiro). Vou para as lojas e me frustro por não terem meu número, me envergonhava em comprar roupas com meus namorados pra eles não saberem o número de minhas calças, ou não presenciarem a minha decepção por ver uma roupa e não poder comprá-la porque esta não cabia em mim.

Sei que devia terminar este longo post com uma mensagem tipo: "então eu aprendi a me amar blablabla" mas não me sinto assim no momento. Ainda me olho no espelho e vejo alguém que fisicamente e psicologicamente não merece ser amada. Ainda não acredito em elogios, nem que eu vá conseguir me ver de forma diferente, pois esta é a minha realidade. Espero que, com a terapia isso mude e que o espelho melhore a imagem que eu sempre vejo...

11 comentários:

  1. Você contou um pouco minha história sobre o corpo. Eu sempre quis ser magra, mas inconscientemente parece que primeiro minha mãe tinha que me aceitar assim para eu conseguir emagrecer mais. Eu tenho sobrepeso, não sou obesa, mas sofro por ter engordado depois do casamento.Porque eu tinha conseguido sair do sobrepeso antes de me casar, mas voltei:(. Sabe, as vezes é ruim fazer dieta, mas o resultado pra mim sempre foi bom. Eu quero voltar ao peso antigo. Espero conseguir...E sobre auto imagem eu tento me desligar mais sobre o que os outros acham, hoje consigo me ver bem assim. Eu vejo amigas com corpo magro sofrendo no amor...eu não acho que isso é o que chama atenção para AQUELA pessoa especial. Nenhum homem consegue conviver com uma mulher magra sem nada na mente. Mas, conseguem viver com alguém fora do peso, mas inteligente, culta e que escreve tão bem assim como vc! bjss

    ResponderExcluir
  2. Naty, qdo te conheci aqui a primeira vez, imaginei uma menina linda, sensivel, inteligente, culta e amiga. Soh deois percebi que tinha uma foto de seus belos olhos verdes... No mundo real, infelizmente vivemos em uma sociedade capitalista que vende a imagem do que deveria ser perfeito... Mas veja bem, como disse te imaginei linda. Agora mesmo sabendo que vc se acha gorda, continuo te achando bonita... Noa consigo imagina-la feia pois pelos seus posts vc parece ser uma pessoa mto bonita. De repente seu exterior nao te agrada, mas com o tempo vc podera aprender a se aceitar ou mudar. Uma dica simples que me ajudou mto a perder peso em uma [epoca: cortei bebidas, refrigerantes e doces - soh me permitia no findi... Essas coisas sao altamente viciantes, entao qto mais a consumimos, mais queremos... depois de um tempo eu jah nao sentia tanta falta... comece com dia sim dia nao... e depois va aumentando... isso eh se quiser mudar seu corpo... eh um resultado a longo prazo, mas alem de tudo melhora sua saude... Eu consegui Naty... Tenta tb... E vc eh linda!

    ResponderExcluir
  3. Oi Naty
    Eu sei que é clichê kkkkkk, mas vc vai encontrar uma pessoa que te ame do jeito que vc é, se o seu ex não te valorizou, é porque ele não te merecia. Eu disse que era clichê kkkkk, mas eu encontrei alguém que tá comigo há quase 25 anos entre namoro e casamento, acho que isso deve ser a sua idade kkkkk, e eu sempre fui bipolar, tenho certeza disso, só fui diagnosticada tarde, e não tenho lindos olhos, vc viu minha foto! Quanto a sua mãe, releve, eu sou mãe. Acredite, por mais que isso te fere, ela não sabe disso, senão ela não falaria. Não tem ninguém,ninguém nesse mundo que nos ame mais do que nossos pais, mas como pais, somos seres humanos, passivos de erros, e magoamos nossos filhos, eu sei disso, eu magoo meu filho adolescente, assim como minha mãe me magoa, ela não entende a doença, tem quase oitenta anos! Mas sei que ela sempre estará ao meu lado, e sempre me amará incondicionalmente, e vc sabe: mãe é tudo igual kkkkkkk.
    Bjos querida. Boa Páscoa!

    ResponderExcluir
  4. Também me olho no espelho e vejo alguém que não merece ser amado. Mas isso está dentro da gente e não no espelho, vc sabe...
    Também não posso dizer que comecei a me amar e nem que hoje tudo mudou. Mas sei que eo grande engano é querer que tudo venha do olhar do outro. Se o outro nos ama, a gente nos ama. Se o outro nos rejeita, a gente se autorrejeita. Não, não podemos deixar tudo assim na mão dos outros... Vamos achar um jeito de nos fortalecer sem depender do olhar do outro! Tamo junto na batalha.
    bj
    http://depressaodrepre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. '' SENTIMENTO CRÔNICO DE VAZIO ''

    " Eu não posso ficar sozinha, simplesmente não posso, porque não consigo equilibrar o sentir e o pensar ou ser,'' entendo racionalmente''
    que não estou sozinha mas não sinto isso, ou sinto mas não entendo.
    As vezes posso sentir as pessoas que me amam me esquecendo, e assim átomo por átomo vou sendo apagada, vou desvanecendo
    Já que sentir e pensar eu mesmo, não me valida como algo OU alguém..."

    ResponderExcluir
  8. Passar por questões assim é difícil pra qualquer pessoa, muito mais pra quem sofre de qualquer tipo de transtorno. A vida inteira eu fui gorda e pra completar o quadro de admiração alheia, carreguei um par de muletas desde que me entendo por gente, então sei bem dessas coisas que vc tá falando.
    Olha, sou péssima em conselhos ou exemplos, só acho que se ser gorda te incomoda, há caminhos pra melhorar isso. E se a questão for se assumir como é, saiba que gordinhas podem sim serem lindas, charmosas, cheias de encanto. Mas não há receita pronta, infelizmente,tipo "sou gorda mas vou emagrecer agora" ou "sou gorda, me acho gostosa e o resto que se lasque"... É mesmo da vivência da gente, do jeito de aprender de cada um.
    Eu acho mesmo que você vai encontrar o seu, o seu jeito de ser feliz apesar das tuas inquietações.

    Beijo, menina corajosa da alma desnuda.

    ResponderExcluir
  9. Gostei do que escreveu, mostra que está mais confiante, todos merecemos amar e ser amados, acontece que somos amados permanentemente, somos amados por alguém que sabemos que nos ama, mas também somos amados por alguém que nunca demos hipótese de nos dizer que nos ama, ou até por alguém que não conhecemos.

    ResponderExcluir
  10. Olá! É tão bom quando leio posts assim, verdadeiros. Às vezes as pessoas mentem sentimentos tentando demonstrar tudo o que realmente é o contraditório de si. Mas vc é verdadeira e isso já é um motivo para ser admirada. Têm pessoas que são infelizes não porque são gordas, mas porque são lindas e, essa beleza as consome em egocentrismo, orgulho e falsa superioridade. O mais importante é a gente se aceitar como somos, como Deus nos fez: ÚNICOS e amados por Ele. Mas sei que é difícil se olhar no espelho e essa mágica da aceitação acontecer, por isso penso que o primeiro passo é você começar a ser reconhecer como uma gordinha charmosa de lindos olhos verdes. As pessoas só nos aceitam e nos reconhecem quando assumimos ser quem somos independente do que os outros pensam. Vale muito mais uma gordinha que sabe amar e fazer seu amor feliz do que uma magrinha extremamente cativante, cabelo longo e que toca violão, porém muito política, preocupada com a opinião das pessoas e que tem problemas sexuais. Entende? certamente o idiota e grosseiro do seu ex namorado está fazendo uma magrinha bem infeliz agora... enquanto você tem inúmeras chances de encontrar seu par e fazê-lo o homem mais feliz do mundo. Beijo minha linda e está convidada ao meus blogs, caso se identifique com algum... http://rose-sousacoracaodefera.blogspot.com.br/. Forte abraço e fim de semana lindo pra ti.

    ResponderExcluir
  11. Olá.
    Conheci vc através do youtube...bom, fui diagnosticada como borderline há 2 anos, mas não quero mais consultar com esse médico. Procurei outro, ele disse q sou bipolar e um terceiro disse q tenho transtorno de humor sem especificação.
    Sofro muito.
    Não sei quem sou, hj quero algo, amanhã n quero mais, sinto muita raiva de tudo e de todos, minha personalidade se molda de acordo com a da pessoa na qual fico obcecada, meu humor oscila muito...estou grávida! tenho tanto medo...medo de o bb nascer como eu, medo de ser uma mãe perversa, como minha mãe foi comigo, medo de ser abandonada...eu só penso em morrer.
    Estou totalmente descontrolada. Por favor, me dê uma luz.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.