Amigos:

15 de mar de 2013

Corações Descontrolados e outras estórias.

Janis Joplin













Tô meio sumida, não? É que meu pai, que mora em Brasília, veio me visitar. Aí fico o dia todo com ele.
A vida anda meio que na mesma, com algumas luzes salpicando no caminho. Me alimentei melhor nestes dois dias, o que acabou resultando numa dor de estômago absurda. Depois de dias comendo parcamente, exagerar na quantidade de carne (e de caipiroskas) me custou uma noite mal dormida.


Também tive o retorno na minha psiquiatra. A minha dosagem de antipressivos e estabilizadores de humor aumentou.  Foi bom desta vez, ela me tranquilizou muito, me mandando ficar calma com relação ao tempo de melhora. Ando muito ansiosa com o tempo que isso está levando.


Além disso comprei um livro que fala sobre o TPB, "Corações Descontrolados". Vou começar a ler logo e postar partes interessantes pra os borders que me visitam.

A boa notícia tem a ver com meu post anterior, sobre meu trabalho com os felinos. Lembram do gato que eu disse que encontrei na rua, com um ferimento e gripe felina? Pois bem, desde antes de ontem eu e minha mãe estamos tratando dele na rua mesmo. Tenho antibiótico e anti-inflamatório em casa (fruto de meu passado de protetora) e depois de dois dias de tratamento, ele está bem melhor! O ferimento está desinflamando, ele está ficando sem secreção no nariz e está mais esperto. Vê-lo melhorar me fez um bem enorme, pois com o marasmo que minha vida está, poder fazer a diferença na vida de um animal de novo é reconfortante e animador.

E tem mais: ontem, quando eu e minha mãe estávamos voltando para casa depois de tratar do gato, passamos pela frente de um colégio em que as pessoas jogam muitos gatos pois sabem que tem gente que alimenta. Os portões estavam fechados, já que era tarde. Escutei um miado de filhote de gato, desesperado. Fiquei louca. Queria pular o portão pra resgatar o bichinho. Então chegaram os seguranças e pedimos para eles pegarem o bichinho. Acabou que o bichinho era bichinha, uma pequena gatinha braba "como um siri na lata", segundo minha mãe. Resultado: mais um felino pra família, a pequena "Janis Joplin".

Ainda assim, correndo o risco de ser repetitiva, bate a melancolia. Hoje fui ao shopping e olhava para os lados a todo minuto, morrendo de medo de encontrar meu ex, mesmo sabendo que as chances de isso acontecer são quase iguais a zero. Ainda falando nele, outra conclusão: muitas vezes escrevo aqui o que normalmente estaria contando para ele. Ainda não me desapeguei e a dor da perda dói como uma faca.

Para tentar descontrair, minha música favorita da Janis Joplin:


7 comentários:

  1. Estou postando aqui novamente, porque acho que postei no dia errado. RS!

    Olá mocinha! Como vai? Olha..eu li tudo sobre você no blog. Sou psicologa, mas não estou atuando no momento me interessei por outras coisas, outros meios. rs
    Mas, gosto de ler sobre a "nossa mente." Além de você ser intensa igual a mim, não ache que está sozinha, sempre podemos conhecer novas pessoas, novos amigos, a melhor forma de você continuar construindo sua vida é se ajudando, procurando sempre alguém em que se apoiar quando mais precisar, mas nunca se permitir ser sozinha. Seja sempre você..gostei de tudo que li aqui, por isso, quero continuar mantendo contato com você.
    Seja feliz da melhor forma.

    Se quiser me responder meu contato:helen.rio@gmail.com
    Ps: não me responde no blog porque não tenho mais acessado.

    Beijos Helen

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Naty
    sensação minha que a visita de seu pai, e os cuidados que vc está tendo com os miaumigos, está surtindo bom efeito.Te senti menos melancólica.Pode ser o retorno também á psiquiatra, e a nova dosagem(bem,aumentou...).
    Ouço pouco Janis.
    Boa leitura do novo livro.
    Meu carinho
    Bom dia de sexta feira
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Naty...Também moro em Brasília... Tenho um conselho : Não espere que as pessoas te amem da mesma forma que você ama elas. Já sofri e ainda sofro por não entender esse sentimento de querer ser uma sombra na vida das pessoas (respirar o mesmo ar, ser a pessoas) mas estou tentando... Espero que você possa tentar também, porque esse sentimento machuca e doi muito
    Assim como portadora de TPB, acredito que ''CORAÇÕES DESCONTROLADOS'' Possa ajudar você a entender alguns coisitas sobre nós, como me ajudou... Alias VOCÊ É SEMPRE BEM VINDA NO MEU BLOG... BEIJIMMM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb acho Tádila e muitas vezes nunca estamos satisfeitas com o amor do outro :( sempre queremos além e o além nem a gnt dá rs E outra coisa, jamais cobre o amor do outro kkk um problema nosso eh que somos tão presentes que não damos o tempo da saudade pelo medo de sermos abandonadas ou rejeitadas ;)

      Excluir
  4. assim como o Felisberto, senti um clima leve por aqui hoje, acho super legal teu interesse por gatinhos, tudo isto e mais os tratamentos vão te ajudar muito. bjs

    http://eubipolarbuscandoapaz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oii Naty..estou lendo seu blog..eu tb tive um gato que adotei com a gripe felina, mas só virei protetora qd o meu cão morreu.Compra cat lysin ou mande fazer(tenho uma receita de manipulação que posso te falar como pedir) e na época o meu precisou de antibiótico pq estava com pneumonia :( O cat lysin vc já deve conhecer a funçao kk Bom, quanto ao medo de encontrar o seu ex.Já senti isso e acho q foi por isso q smp namorei à distância até ter um namorado em que via em tds os lugares kkkkk Bom, primeiro de td..perca o medo..fácil falar, não?Leia as lembranças e choooore!Chore e viva esse luto!É o que eu tenho para te dizer agora!Viva o luto e lide com a dor até vc cansar e ter raiva dela.PS:Fale dela na terapia e fale MUITO.Vc tem que ver todooos os erros e não fugir deles!Senão não haverá melhora..se não aguentar essa dor, corra para a terapia que será a sua melhor amiga!TE GARANTO!VAI PASSAR!O próximo passo te falarei dps:)

    ResponderExcluir
  6. Ahh esse ex que vc tem tanto medo de encontrar está dentro de vc e está só fugindo de vê-lo em sua mente ;) No meu caso, eu chorei o meu luto ( sem me maltratar, ok) e dps joguei TUDO fora para me libertar sendo feliz com alguém que realmente me amasse.Uma coisa importante é vc se dar a chance de ser feliz sem se boicotar com brigas por fantasias(não sei se vc eh assim) e eh por isso q eu me sentia MT culpada pelo motivo do término ser EU.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.