Amigos:

25 de abr de 2013

Frustrações.



Frustração. Do lat. frustratio que vem do advérbio frustra (em vão, debalde). Ação de impedir que um ser atinja o objetivo ao que tende pela sua própria dinâmica. Estado em que se encontra o organismo quando depara com um obstáculo mais ou menos importante no caminho que o leva à realização completa de um comportamento. (1)

Em Psicanálise, designa a privação sentida como injusta, de satisfações materiais ou psíquicas (2)

Hoje na terapia minha psicóloga disse que um de meus maiores problemas era saber lidar com a frustração. Aquilo que no cotidiano de todos é tão comum, como chegar atrasado, ficar preso no trânsito, perder uma chave ou queimar um bolo para mim é como se fosse uma catástrofe. Principalmente pelo fato que eu não enfrento isso, prefiro fugir das mais diferentes formas possíveis, como bebendo, me cortando, fumando ou comendo.

Mas afinal de contas, o que é a frustração? Tentei o dicionário e a que mais se encaixou com minha realidade foi realmente a definição da psicanálise. Todo impedimento que resulta no fato de eu não conseguir o que quero ou o que planejava, é tida como injusta, pois sempre dou o meu máximo quando tenho um objetivo. Todavia, por que isso acontece?

Talvez eu me cobre demais, queira a perfeição em demasia, que raramente é alcançada por qualquer um dos reles mortais. A sensação da impotência me paralisa também. Sempre se pode fazer mais, pelo menos é assim que eu penso. Se não conseguiu, deve ser por não ter tentado o suficiente. Porém há um momento em que temos que parar e assumir que não há mais nada a ser feito e, seguir em frente.

Por que, as vezes por mais que tentemos, não conseguimos o que planejávamos? Que força é essa, injusta, que faz a luta ser em vão? Já não dizia qualquer um desses escritores esotéricos/de auto-ajuda, que quando desejamos algo o universo conspira a nosso favor?

Talvez não seja uma afirmação de todo falsa. Acontece que outras pessoas almejam coisas também e o Universo não pode estar a favor apenas de um indivíduo (se o fosse, muito confortavelmente pensaríamos só em si próprios para tão cobiçada dádiva). Então, além de mim, muito provavelmente existem muitos outros chateados por não terem chegado em seus compromissos a tempo, assim como existe um outro tanto que chegou, a custo daqueles minutos a menos no banho ou aquela espiada básica que não deram no Facebook antes de sair de casa.

Ainda assim não consigo aceitar o fato de que não posso fazer mais nada a respeito. Luto até minhas forças se esvaírem (não estou eu, até hoje, tentando falar com meu ex?) e só quando caio, vencida, que paro. Mas não aceito. Somente paro e sofro por achar que podia ter dado um pouco mais de mim, tentado mais, me esforçado mais. E para não enfrentar eu fujo. É mais fácil, dói menos, existe muita dor já em mim para que eu queira me jogar de bom grado em mais uma, que seja ela parte do cotiano ou algo mais profundo.

O que nos faz recuar e perceber que temos que desviar o caminho, pois aquele que escolhemos anteriormente infelizmente está bloqueado e impossível de atravessar e não podemos fazer nada a respeito? Para realizar isso, temos que andar pra trás e isso sempre é, de alguma forma, sentido como negativo. 

Não esperava chegar a nenhuma conclusão com estes devaneios, só pensar. Pensar nas razões de eu não me dar por vencida, mesmo quando a batalha já está perdida. E ficar em pé, como um general louco, sangrando, enquanto minha tropa jaz no chão a tempos. Necessito saber guardar minha espada e enfrentar a derrota. só não sei como.




6 comentários:

  1. "Talvez tenhas que pensar menos."

    ( Sossegar mais. )

    (*)

    ResponderExcluir
  2. Todos nós temos altos e baixos e precisamos aprender a lidar com isso. beijos,fica bem,chica

    ResponderExcluir
  3. Oi querida
    Sei bem o que vc sente, sempre vou repetir isso, para que vc saiba que quando eu falo, eu sei o que vc está sentindo, só para vc saber que não está só, sei que isso te faz se sentir melhor, pelo menos me faz sentir melhor saber que tem alguém que me entende, que sofre as mesmas coisas que eu, porque os profissionais por melhores que sejam, eu preciso deles, frequento a terapia, e vou ao psiquiatra, mas eles só conhecem a doença do lado de fora, nós conhecemos do lado de dentro. Minha outra psicóloga dizia que tenho baixa tolerância a frustração, fico muito irritada com qualquer coisa, junte isso a ter um filho adolescente. Bummmmmm! É minha família não é tão perfeita quanto parece kkkkkkk, não existe família perfeita! Ainda bem, acho que seria bem chato essa família kkkkkkk. Vc vai melhorar querida, mas tem que se entregar ao tratamento, tem que se ajudar, isso compreende deixar de beber (lá vem ela de novo com essa história). Falo isso porque te gosto muito e quero vê-la melhor!
    Bjos e #tamo junto.

    ResponderExcluir
  4. Essa parte do "cortar-se" me causa uma aflição imensurável. Se estivesse eu perto de ti, acho que grudaria, numa tentativa insana e ineficaz de te proteger. É como foi dito aí, tenta só deixar fluir.

    Se cuida, menina.
    Um dia esse ex vira coisa alguma.

    Beijo!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.