Amigos:

31 de mai de 2013

Como acabar com a ignorância? Com informação!




Hoje é o último dia do mês da consciência TPB. Pensei em colocar vários textos, para aproveitar esta última oportunidade. Então pensei: mais do que passar a teoria, preciso falar sobre a importância de acabar com a ignorância quando se trata de transtornos de Personalidade, inclusive por aqueles que têm estes transtornos.

Em conversas com várias pessoas fiquei espantada com a falta de iniciativa em buscar compreender-se melhor. Temos ferramentas de buscas fantásticas, mas parece que muita gente usa o Google para procurar bobagens e Facebook só para bate-papo. Ou pior, quando pode passa informações equivocadas. Já escutei de gente "alertando" outras para o "perigo" de um psiquiatra passar placebo ao invés de medicação correta. Ou dividindo suas péssimas experiências com os remédios transcritos, ao invés de pontuar sobre como quando nos acertamos com eles a melhora (nem que seja devagar) acontece.


A primeira chave para conseguir pelo menos iniciar a luta contra qualquer transtorno é entender como ele funciona. Tentar descobrir os gatilhos, os motivos, os detalhes sobre o que você tem, o que ajuda e o que atrapalha. Também não acredite na primeira coisa que ler. Tem muita informação equivocada por aí, ou incompleta. Busque fontes diferentes, se falar inglês vá a sites internacionais, ou coloque trechos no Google Tradutor, que por mais que seja um pouco falho não fere o sentido do texto.

Se não tiver nenhum transtorno, mas desconfia que está com problemas, leia sim, mas vá a um profissional especializado! Nenhum blogueiro, mesmo que seja um psiquiatra graduado, pode te diagnosticar de longe. E cuidado, pois quando lemos sobre diversos tipos de transtorno, acabamos por nos identificar com vários, pois todo mundo tem um traço deles, o que não quer dizer nada.


Enfim, não adianta tentarmos lutar contra o preconceito dos outros, contra a falta de informação, se nós mesmos não soubermos do que estamos falando.

Eu falo por mim. O blog me fez levantar a bandeira contra a ignorância contra o preconceito e isso me trouxe mais armas para que eu consiga (quem sabe) vencer o meu problema. 


Precisamos sim de gente que levante bandeiras das causas que acredita.

Eu já escolhi as minhas.
E você?

2 comentários:

  1. "E cuidado, pois quando lemos sobre diversos tipos de transtorno, acabamos por nos identificar com vários, pois todo mundo tem um traço deles, o que não quer dizer nada."

    Eu estava justamente pensando nisso quando cheguei a essa parte do texto. Às vezes acabamos nos auto-diagnosticando e isso, de certa forma, pode piorar tudo. Procurar a ajuda de um profissional e sempre a melhor opção, o que não significa deixar que este aja sozinho. O conhecimento, a informação, tudo isso nos ajuda a nos entendermos melhor.

    Caramelo de Limão

    ResponderExcluir
  2. Posso não ter TPB, mas descobri muitas coisas que não sabia sobre a doença. No meu caso, que tenho Transtorno Afetivo Bipolar (TAB), sempre pesquiso sobre minha doença, leio livros, me informo e tb tento informar o máximo de pessoas possível. As doenças psiquiátricas só perderão todo esse preconceito e estigma se as pessoas passarem a conhecê-las de verdade. Pq preconceito nada mais é do que temer/debochar aquilo que é desconhecido.
    Parabéns pelo seu trabalho informativo aqui no blog :)

    bjs da Flor ~*

    http://bipo-analisando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.