Amigos:

30 de mai de 2013

Transtornos Alimentares X Transtorno de Personalidade Borderline



Transtornos Alimentares e de Personalidade Borderline freqüentemente ocorrem juntos, mas até recentemente, muito pouco se sabia sobre a relação entre o TPB e as condições destes. Estudos mostram que 25% a 54% dos indivíduos com um transtorno alimentar também satisfazem os critérios diagnósticos para TPB. A ocorrência das duas doenças juntas tende a ser maior entre aqueles que apresentam comportamentos mais impulsivos, como a compulsão alimentar e purgação. Claro, isso não quer dizer que as pessoas com transtornos alimentares necessariamente tem Transtorno de Personalidade Borderline. Na verdade, uma esmagadora maioria das pessoas com transtornos alimentares não têm TPB. Acredita-se que a taxa de TPB em pessoas com distúrbios alimentares é um pouco elevada quando comparada com a população em geral (cerca de 6% a 11%, em comparação com 2% a 4% na população geral). Alguns distúrbios alimentares, no entanto, estão associados com um maior risco de TPB que outros. Por exemplo, um estudo descobriu que as pessoas com bulimia nervosa do tipo purgativo podem apresentar maior risco de TPB (com cerca de 11% dos critérios de TPB) do que as pessoas com anorexia nervosa, e compulsão alimentar (com cerca de 4% dos critérios de TPB).O Transtorno de Personalidade Borderline e os Distúrbios Alimentares muitas vezes co-ocorrem, por isso, podem estar ligados e devem ser tratados quando ocorrem juntos.

O que são transtornos alimentares?

Os transtornos alimentares são doenças psiquiátricas caracterizadas por graves problemas com o comportamento alimentar. O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, reconhece três tipos específicos de distúrbios alimentares:
  • Anorexia nervosa;
  • Bulimia nervosa;
  • Compulsão alimentar;
A característica central da anorexia nervosa é uma recusa em manter um peso minimamente normal do corpo. Em contraste, a característica central da bulimia nervosa é a presença de compulsão alimentar, seguido por comportamentos que são tentativas de compensar a compulsão, tais como auto-indução de vômito, uso excessivo de laxantes, excesso de exercício, etc. Enquanto ninguém está certo do que causa compulsão alimentar, sabemos que muitos comedores compulsivos relatam sentimentos de desordem e depressão. Outro ponto em comum é que muitos comedores compulsivos também relatam abuso sexual. Essas questões não são comuns a todos, o relatório da grande maioria diz que tendem a gerar sentimentos de tristeza, raiva, ressentimento, tédio, ansiedade e/ou alegria.

Como os Transtornos Alimentares e de Personalidade Borderline são relacionados?

Por que as pessoas com TPB parecem ter distúrbios alimentares em uma taxa maior do que a população em geral?

Especialistas notaram que uma possível explicação é que o TPB e os Transtornos Alimentares compartilham um fator de risco comum: ambos estão associados com histórico de trauma na infância (como abuso físico, sexual e emocional). Pode ser que ter este histórico coloque um maior risco tanto para TPB como para transtornos alimentares.

Além disso, alguns especialistas sugerem que pode ser de que os sintomas do TPB aumentam significativamente o risco de desenvolver um distúrbio alimentar. Por exemplo, impulsividade crônica e automutilação podem levar alguém a se envolver em comportamentos alimentares problemáticos, o que pode ao longo do tempo elevar o nível de um distúrbio alimentar. Também pode ser que o envolvimento com comportamento alimentar desordenado possa levar a experiências de estresse (por exemplo, a vergonha intensa, hospitalização, ruptura familiar), que pode desencadear TPB em alguém com que tenha uma vulnerabilidade genética para a doença.

Tratamento para Transtornos Alimentares e da Personalidade Borderline:

-Existem tratamentos conjuntos para o TPB e os transtornos alimentares?
A boa notícia é que existem tratamentos eficazes disponíveis para ambos os tipos de condições. Enquanto alguns estudos têm indicado que as pessoas com TPB não respondem tão bem ao tratamento de transtorno alimentar, outros estudos não encontraram diferenças na resposta ao tratamento entre as pessoas com transtornos alimentares, com ou sem TPB.

Qual problema que deve ser tratado em primeiro lugar?

É possível que tanto o distúrbio alimentar quanto os sintomas de TPB possam ser tratados ao mesmo tempo, mas isto pode ser decidido numa base caso-a-caso. Por exemplo, algumas pessoas têm sintomas de transtorno alimentar, que são tão graves que são imediatamente fatais. Neste caso, a hospitalização para os sintomas do transtorno alimentar pode ser necessária antes do tratamento para os sintomas de TPB começar. Alternativamente, em alguém com sintomas TPB muito graves que há o risco de vida ou ameaça de reduzir a sua capacidade de envolvimento no tratamento, os sintomas TPB deverão ser tratados em primeiro lugar.

Dada a esta sobreposição significativa entre estas duas doenças, os pesquisadores estão interessados em desenvolver um tratamento eficaz para os pacientes se apresentam com TPB e um dos Transtornos alimentares. Recentemente, há evidências emocionantes e promissoras para o uso da Terapia Dialética Comportamental. Ela é eficaz para reduzir comportamentos impulsivos e autodestrutivos em indivíduos com diagnóstico primário de TPB. Estudos mostram que ela reduz e muitas vezes elimina comportamentos suicidas e auto-mutiladores. Os primeiros estudos mostram também que esta terapia é uma intervenção promissora para mulheres com diagnóstico de transtorno de alimentação primária. TPB tem sido associada com a compulsão alimentar reduzida e purga comportamentos. Estudos que avaliaram TPB para indivíduos com ambos os transtornos estão em andamento. Atualmente, está sendo feito um estudo sobre a viabilidade e a eficácia da Terapia Dialética Comportamental para indivíduos com ambos os transtornos, incluindo aqueles com apresentações de multi-diagnóstico (como transtornos de ansiedade ou transtorno obsessivo-compulsivo).


MEU CASO: Saiba minha experiência pessoal sobre estes dois transtornos e como tem afetado minha vida ao longo dos anos. (Clique Aqui)

**Agradeço a minha grande amiga Eilan por ter me dado a oportunidade de juntar-me ao Borderline-Girl. Este foi meu primeiro post, espero que tenham gostado! :)


4 comentários:

  1. Desde que conheci seu blog, costumo voltar para ler. Fico pensando muito, converso com a psiquiatra de minha filha, não sei se é o caso dela, mas parece muito.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Mais uma vez seu blog me ajudou a entender um pouco mais da minha amiga...por isso indiquei ele num post onde falo de alguns blogs que descobri recentemente ^^ espero que vc goste...bjux >.<

    http://pingentesdeilusao.blogspot.com.br/2013/05/blogs-que-descobri.html

    ResponderExcluir
  3. No caso da minha amiga, qual o tratamento possível? para quando as melhoras, para quando a recuperação total, para quando os químicos deixam de fazer parte sua vida?
    tem resposta?

    ag

    ResponderExcluir
  4. Amei este blog está me ajudando muito a entender a minha personalidade borderline

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.