Amigos:

19 de mai de 2013

Devaneios e Podcasts



Acho que vou ler Freud. É. As coisas estão se emaranhando, o tempo está passando e eu continuo a derramar lágrimas. Sim, ainda penso em você. Não, não sei por que, mais ainda penso. Vou ler Freud, acho que é o que me resta. Olho pela janela, chove. Choveu o dia inteiro, ontem, a água varreu a cidade e eu nem notei, presa em meu mundo particular. Sonho com seus cabelos, seu sorriso, sua voz, me dói o peito, choro, quando isso vai acabar? Isso vai acabar? Tenho que começar a ler Freud, a biografia é grande, quem sabe eu entenda? Minhas coisas estão espalhadas, assim como os pedaços de meu coração. Corre vidro pelas minhas veias, talvez se eu me cortasse e visse o sangue eu me convencesse do contrário.

Sou uma fraude. Meu sorriso é falso, a risada é forçada, os assuntos vazios, eu ando, vago ainda perdida. Acham que eu não estou. Acham que sou diferente por causa do blog, porém o blog nada mais é do que uma válvula de escape, um paliativo, um placebo pra minha dor frequente. É sábado. O mundo corre lá fora de minha janela e eu aqui a devanear sobre minha existência miserável. Talvez eu esteja me fazendo de vítima, mas, quem se importa? Eu é que não. Na verdade já não me importa muita coisa. Então vou ler Freud e esquecer que estou aqui, presa por estas correntes que talvez eu mesma tenha colocado em mim, incapaz de lutar contra as memórias, incapaz de respirar sozinha. Tudo se foi. Suas coisas, meus sonhos, eu as vezes me atrevo a querer um futuro, todavia logo me lembro que não há motivo. Não há razão. Estou só. Perdida e só, eu, minha lâmina e meu computador, vivendo num mundo virtual pois foi o que me restou.

Então escrevo estas linhas pra me distrair. Da lâmina que me tenta, das lágrimas que correm, das vozes das pessoas lá fora, vivendo suas vidas, sorrindo, gritando, felizes, querem pouco, pedem pouco e têm tudo. Eu só queria alguém que parasse de respirar por mim. Por isso eu vou ler Freud. Quem sabe ele explica?

P.S.: Consegui gravar meu primeiro podcast. Está um pouco longo, pois minha capacidade de síntese anda meio avariada. Postarei aqui e na barra lateral do blog.

Apresentação / O que é o TPB?

3 comentários:

  1. Oi Eilan, adorei o podcast. Realmente postar videos seria uma exposição muito grande. Você sabe muito sobre o transtorno borderline e sei que ajudará muitas pessoas como aliás já vem fazendo até aqui, que Deus te ilumine.

    Achei lindo o texto apesar de um pouco triste. E talvez eu também leia Freud. Sei lá se vai confundir ou ajudar...

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Adorei. Muito esclarecedor.

    ResponderExcluir
  3. eu não concordo com grande parte do teu texto, você me parece bem viva, tão viva que entende até o que eu não digo, você é minha luz!

    Adorei a ideia do podcast amiga! como é bom ouvir você!!! ^_^

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.