Amigos:

23 de set de 2014

Rock and Roll.


Comecei a escrever este texto sobre a relação do Rock e do TPB pra mim mas... Fez mais sentido que ele fosse em inglês. Para os que falam o idioma, sugiro que leiam só a versão original, pois a tradução ficou boa porém não tem o mesmo espírito.

Are you a Rock'n'roll Girl? I truly believe I am one of these. Spirit wearing fancy and scratched All Stars, heavy makeup on. And that bad attitude, not caring, not giving a shit.

I have been starting to believe rock'n'roll has everything to do with Borderline Personality Disorder. Wild, madly crazy people. The sounds that hipnotize us are not quiet strings of an opera aria, but heavy hard core guitar solos on fire. Screaming with the last spark of voice left inside our lungs. Spreading vodka on the air. Eyes numbed by the smoke around, where are we?

Best poetry I've ever heard, sorry for the ones who are fond of the classics, came out of the (wonderful) throats of Eddie Vedder. Laney Staley, Chris Cornell, John Lennon, Janis Joplin. And my prince, Sir Paul McCartney. They take you away, but not to a very warm and tidy place, but to a room full of mess: inside your own mind.

And isn't it what we are, fellow borders? A room of mess, a pool of deep feelings, all entangled in a way that we can hardly ever figure out? Life of screams for freedom, can't we even free ourselves from our own thoughts? Just as drums beat, we wander around the ambience, taking everywhere, filling everywhere with our simpathy, empathy, craziness, sadness and shall we give people a break? No. The beats never stop. They stump, and stumble, and bump, and banish ordinary around. Even from dreams.

Can we be, even for a moment, mere ordinary people? I wish. Or not. Drugs taken, theraphy attended, but inside ourselves we are and will always be rock'n'roll people. We are the sounds that take everybody over. No matter how we do it and honestly we don't give a fuck, we live. Like a rock'n'roll oncert, with thousands of people singing along a chorus sometimes they don't understand, as if they were connected in an enchanted net, they keep going.

And that's who we are, my friends. Crazy rock'n'roll chords that only rock'n'roll people get. And the good news are: even with the therapy, meds, mind training, control... The verses will keep on playing. On our mind.

TRADUÇÃO:

Você é uma garota Rock'n'Roll? Eu realmente acredito que sou uma dessas. Um espírito calçando All Stars chiques e arranhados, maquiagem pesada na cara. E toda aquela atitude má, não dando a mínima.

Comecei a acreditar que o rock'n'roll tem tudo a ver com o transtorno de personalidade borderline. Pessoas selvagens, enlouquecidamente insanas. Os sons que nos hipnotizam não são as notas quietas de uma aria em uma ópera, mas pesados e hard core solos de guitarra pegando fogo. Gritando com a última centelha de voz ainda restante em nossos pulmões. Jogando vodka pelos ares. Onde estamos?

Desculpem-me aqueles que são fãs dos clássicos, mas a melhor poesia que já escutei saiu das gargantas (maravilhosas) de Eddie Vedder. Laney Staley, Chris Cornell, John Lennon, Janis Joplin. E de meu príncipe, Sir Paul McCartney. Eles te levam pra longe, porém não para um lugar quentinho e arrumado, mas para para um quarto repleto de bagunça: dentro de sua mente

E não é o o que somos, colegas borders? Um quarto bagunçado, uma piscina de sentimentos, todos emaranhados de tal forma que nós raramente conseguimos compreender? Vida de gritos por liberdade, não podemos sequer libertar-nos de nossos próprios pensamentos? Tal como as batidas da bateria, vagamos pelo ambiente, pegando tudo, preenchendo tudo com nossa simpatia, empatia, loucura, tristeza e será que deveríamos dar um tempo a eles? Não. As batidas nunca cessam. Elas batem pesado, tropeçam, impactam e banem o normal a volta. até mesmo dos sonhos.

Podemos ser, mesmo que por um momento, meras pessoas normais? Queria que sim. Ou não. Remédios tomados, terapias seguidas, mas dentro de nós mesmos ainda somos e sempre seremos pessoas rock'n'roll. Somos os sons que levam a todos. Não importa como fazemos isso e honestamente estamos pouco se fodendo, só vivemos. Como um show de rock, com milhares de pessoas cantando juntas acordes que as vezes não compreendem, como se conectados em uma teia encantada, eles continuam.

Isso é o que somos, meus amigos. Acordes loucos de rock, que só pessoas rock'n'roll entendem. E a boa notícia é: mesmo com a terapia, remédios, treinamento mental, controle... Os versos continuarão a tocar. Em nossa mente.


Mad Season - Lifeless Dead

Curiosidade: A banda que canta é o Mad Season.

Mad Season foi uma banda grunge estado-unidense criada em 1994 como um projeto paralelo de integrantes de outras bandas com base em Seattle e do sub-gênero, o que a conferiu a alcunha de supergrupo grunge. Formada pelo guitarrista Mike McCready do Pearl Jam, o vocalista Layne Staley do Alice in Chains, o baterista Barrett Martin do Screaming Trees e o baixista John Baker Saunders, o grupo fazia um som diversificado a partir de uma mistura entre blues e hard rock.


(Wikipedia)

TRADUÇÃO:

Morto Sem Vida

Morto sem vida, aquele leito impuro
Até ou quando o desejo dela foi satisfeito
Como ele tinha desejado que eles se casassem
"Eu prometo pelo nosso amor" ela disse
Promessas nunca foram cumpridas
Sozinho em chão sujo ele dormiu

Yeah, morto sem vida

E apesar de que ele não tivesse acreditado
Ela havia ido embora e assim ele chorou
Então um demônio veio a ele
"Você deve saber que eu vou vencer"

Yeah, morto sem vida

Ele disse, ela disse
Ela o guiou a morte
Ele disse, nós sofremos
Ela disse, mas não tentou

Morto sem vida, morto sem vida

(essa devia ser música borderline também...)

11 comentários:

  1. Ei! Estava com saudades, achei que tinha desistido de me ler.
    Mas quero saber se me daria o prazer de
    escrever um conto pra sair eu publicar no aniversario
    do Espelhando?

    ResponderExcluir
  2. Gosto do que vejo aqui..um dia somos tudo o que queremos no outro temos menos coragem...bom texto pelo que entendo somos loucos por alguma coisa...sempre!

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Ah vai se danar, garota estúpida.
    Ficar comparando a complexidade e as boas coisas que o rock, juntamente com todas as suas inúmeras e quase infinitas vertentes dentro do gênero, com seu problema psiquiátrico já é apelação.
    Tudo bem, a música enaltece sentimentos mas não é apenas o rock que transmite isso. O rock é muito mais do que os momentos depressivos, fúria e etc. É rolê, é divertimento, é arte! Agora só falta me dizer que boderline é uma obra de arte corporal também.
    Talvez essa sua opinião se divulgada tenderá a criar mais pseudo pessoas com problemas mentais que acabam por prejudicar as pessoas que realmente tem algum distúrbio perante a opinião da sociedade como um todo.
    Se o seu problema é real, deveria pensar um pouco em superá-lo e não focar tanto nele, tampouco incentivar que outros aderem á essa prática de auto-flagelação. Pois não sei se percebeu, de uns tempos para cá vemos muita gente dizendo que possui um monte de problemas psiquiátricos. Destes que falam só uma mínima parcela realmente tem as doenças. A maioria quer é chamar a atenção.
    E lá vem garotinhas na moda all-star com maquiagem pesada do tipo "mamãe quero ser gótica ou pseudo punk".
    Todos os estilos de música podem se assemelhar á transtornos psiquiátricos. Não venha unicamente falar do rock. Só falta dizer que todo gótico é depressivo, todo skin head é racista e todo punk é anarquista. Afeee.

    ResponderExcluir
  4. Oi querida
    Mais um desabafo que eu compreendo perfeitamente, mas sempre bato na tecla que vc irá superar, mais cedo ou mais tarde, irá depender de como seu corpo irá reagir ao tratamento e de seu empenho ao mesmo!
    Quanto ao comentário do Sr. Anônimo, que nem se dá ao trabalho de colocar o nome, sugiro que vc modere seus comentários, para não ter esse tipo de chateação, sua luta já é grande para ter que lidar com esse tipo de pessoa, por isso eu modero meus comentários na maioria das vezes, por causa desse tipo de gente #fica a dica.
    Bjo e #tamo junto.

    ResponderExcluir
  5. Ai gente, tive meu primeiro comentário mal-educado, que emoção... :~
    Estou oficialmente batizada no mundo dos blogs, estava até preocupada pq ninguém vinha dizer merda no meu blog, sentia-me excluída!

    amado... que pena que você não se identificou, tens a coragem dos amantes do rock, não é? Falta-te interpretação de texto também.

    Leia meu blog inteiro, querido. Até comentei sobre esta moda de todo mundo achar que tem transtorno já... tsc tsc tsc...

    Não encorajo ninguém a nada. Muito pelo contrário, bebê. Acho que você ficou com preguiça de ler tudo, eu sei eu sei, talvez vc esteja ocupado escutando NX Zero ou Restart over and over pra querer ler algo.

    Se você entendeu que eu disse que todo amante do rock'n'roll é border... Ahhh pecado. Realmente não deve se aventurar mesmo escutando Pink Floyd ou Beatles, porque se o cérebro não alcançou um textinho bobo de uma mulher de 33 anos, calcula estes gênios? Ahhhh provelmente deve se valer das traduções né?

    Meu amorrrrrrrr eu falava de sentimentos. comparava sentimentos profundos que todos os bons letristas do gênero tiveram. Poderia citar inumeros. Kurt, Amy, Janis, Andrew Wood (conhece Mother Love Bone, carinho?), Elvis Presley, John Lennon.

    Se vc ler bem direitinho vai perceber que eu acho essa relação que encontrei muito boa. Rock é arte mas é coração confuso, loucura sim. Sentimentos a flor da pele sim. Talvez vc com sua sapiência não compreenda... Esteja muito abaixo.

    Não vou moderar os comentários porque me divirto falando com gente pseudo-entendido que nem você. Que se acha inteligente e vai salvar o mundo atrás de sua roupinho de anônimo. conta pra tia, faz ativismo no facebook tb? Que bonitinho... *_*

    Seja bem-vindo ao meu blog, tá? Venha sempre, já que você pareceu tão interessado.

    Agora se for para falar merda, anjo... Vá tomar no meio do seu cú, tá? Porque conversar com gente burra me cansa.

    Beijos!


    ResponderExcluir
  6. Xihhh as coisas ficaram tensas aqui hein rsrs Mas curti o seu texto Eilan, apesar de não ser adepta de rock (apesar de curtir All Stars com meia arrastão rs e apesar de gostar dos Beatles, ah Paul McCartney...rsrs enfim).
    Eu entendi sua visão, ah mas espera eu leio você neh... é diferente.

    Fica bem querida,
    ótima noite
    bjus!

    ResponderExcluir
  7. Gente, só pra explicar. .. sou uma lady, mas desço o morro com relativa facilidade. Nao quero ofender os outros com o meu vocabulário as vezes meio de baixo calão, mas... minha paciência anda meio curta as vezes.

    Aos fofos dos meus comentaristas:mil abraços apertados!

    ResponderExcluir
  8. Nunca pensei em fazer essa comparação...mas acho que em alguns pontos faz sentido...eu nunca fui fã dos Beatles rs...sou muito mais bandas menos conhecidas se bem que...já ouviu Joy Division? Acho que você iria achar muito interessante as letras, sem falar que o vocalista Ian Curtis sofria de depressão e catalepsia e suas músicas refletem muito o estado emocional que ele vivia constantemente;.
    Sabe, nunca passei por comentários mal educados no blog...acho então que não sou uma blogueira hahahahahahaha. Mas não ligo XD. O máximo de comment bizarro que recebo no blog vem de propagandas em inglês @_@ Mas automaticamente o sistema joga no SPAM.
    Ouça Joy Division e depois me diga o que acha!

    ResponderExcluir
  9. PARA RESPONDER AO ANÔNIMO PRECISA DE OUTRO ANONIMO.Resposta:O ANONIMO COM BOCA SUJA É UM TIPO RARO DE IMBECIL DO NOSSO MUNDO ATUAL mas já se tornou modinha.NOTE QUE ELE FALOU EM PSEUDO PUNK KKK.ELE NÃO Passa de UM PUNK ESQUERDISTA QUE NÃO GOSTA DE GÓTICOS E DE OUTROS MOVIMENTOS SOCIAIS E OUTRAS CULTURAS DE MASSA SÓ POR QUE QUER TER EXCLUSIVIDADE NO DIREITO DE SE EXPRESSAR.Uma marca por trás do anarcoantropounitario (cultura exclusiva onde tudo vive sem se importar com niguem,ou seja,uma sociedade sem amor,um inferno na terra princialmente pra nós)que flerta com a ditadura anarcopunk.ELE DIZ QUE GÓTICO NADA TEM A VER COM TPB E DIZ QUE TPB NÃO PODE SER UM ESTILO DE VIDA MESMO que O CONCEITO DE ARISTÓTELES NEGA A AFIRMAÇÃO DELE SOBRE ESTILO DE VIDA KKK.UM TIPO COMO ELE SÓ PENSA EM ORDEM UNIDA SOB UMA CARTILHA PREPARADA pelos libers da moda KKK.TODOS OS ANARQUISTAS SÃO ASSIM.São DO TIPO QUE MISTURA GÓTICO COM PUNK OU EMO COM PUNK SENDO QUE GÓTICO E EMO TEM MAIS A VER COM O CENTRO,SOCIAL,ANIMOCENTRISMO E PARTE MAIS HUMANA DO ANTOPOCENTRISMO QUE REFLETE OSCAR WILDE,CONDE NASSAU E TANTOS OUTROS centristas que se importam MAIS como o ser humano inves dos bens materiais.O anonimo COMPAROU GOTICO COM PUNK E MOSTRO A IGNORANCIA ANARQUISTA.Não passa de um materialista sem cultura.O ANARQUISTA CENSURADOR EM QUESTÃO DEVERIA PENSAR EM SE LIBERTAR PRIMEIRO DA INTOLERANCIA ALIADA A IGNORANCIA E CRIAR UM POUCO DE AMOR NO CORAÇÃO E NÃO FICAR ACHANDO QUE A VISÃO DE MUNDO DELE É A ÚNICA FORMA CORRETA DE PENSAMENTO.NÃO EXITE GÓTICO OU EMO FELIZ POR QUE SEGUNDO A LÓGICA ISSO DESCARACTERIZA A CULTURA GÓTICA.SE EXISTE É DISFArSE PARA umA TENTATIVA DE aceitação SOCIAL.GRANDE NÚMERO DE GÓTICOS TEM TPB E MOSTRAM MUITO DISTURBIO DE PERSONALIDADE PRINCIPALMENTE NA QUESTÃO "SEXUAL ANDRÓGENA" SIM E ISSO EXPLICA TODA A CULTURA E O SUCESSO DOS FILMES MELANCÓLICOS E MÚSICAS MELANCÓLICAS ENTRE OS ADEPTOS DO GOTICISMUS E TODAS DAS CORRENTES DO GOTICISMO E CONTRARIO AO PUNK DESDE "EMO,LISI,FROM UK E KEI E ETC..." (ORIENTAL).a origem da cultura gótica vem do dos transtornos,abusos e todo tipo de sofrimento ao qual em um carater psico social forma o universo cultural gótico.se ser gótico é um estilo de vida então ter TPB também é um tipo de vida.TUDO no universo da melancolia da cultura gótica é VOLTADO A AFIRMAÇÃO HUMANA FRENTE AO MATERIALISMO DE "CORPUS" (AQUILO QUE ESTÁ FORA DO "SER ANÍMICO" NA VISÃO DE ARISTÓTELES).o anonimo também cometeu o erro de dizer que TPB e depressão é a mesma coisa.Não é.Pode existir depressão dentro do TPB mas quem tem TPB não vive depressivo o tempo todo.

    ResponderExcluir
  10. Oi Eilan! Carrego muitos problemas desde a infância, mas só agora com 24 anos aceitei um tratamento e descobri a TPB. Pior foi o fato de a descrição servir como uma luva!
    Fiquei bem assustada no começo, sabia que tinha algo de errado comigo, mas não imaginava descobrir um transtorno de personalidade.
    Foi difícil aceitar e gostaria de dizer que seu blog me ajudou a entender muita coisa, de forma que passo aqui todos os dias em busca de conforto e informações.
    É bom saber que não estamos sozinhos!

    Assim como tem uns desinformados dizendo porcaria, tenho certeza que vc ajuda outros tantos.

    Obrigada! Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.