Amigos:

11 de jun de 2013

Transtorno de Personalidade Borderline, Relacionamentos e o Dia dos Namorados.



O Dia dos Namorados está chegando - ou, como alguns de nós preferem chamar, "O Dia da Consciência da Solteirice" ou "Dia do Chocolate pela Metade do Preço".

Um dos sintomas do Transtorno de Personalidade Borderline é um histórico relacionamentos intensos e instáveis. Nós alternamos entre idolatrar e repugnar outras pessoas. Também temos a tendência a ficar em relacionamentos mais do que deveríamos, por causa do medo de se sentir abandonado.. Isso é especialmente verdadeiro quando se trata de relacionamentos românticos.

Nossa cultura dá muita ênfase em ter que estar em um relacionamento. Desde um status de Facebook a filmes água-com-açucar, é fácil se sentir pressionado a estar namorando ou casado.

Nada poderia ser mais perigoso.

Questão sobre o relacionamento nº 1: É seguro?

Corações partidos curam-se mais facilmente que ossos partidos.

As pessoas com o TPB - especialmente aqueles que sobreviveram a algum tipo de abuso - podem permanecer em uma relação arriscada porque eles preferem estar em uma situação familiar com alguém do que numa situação estranha sozinhas.

Aprendam com meu erro: terminem um relacionamento a qualquer sinal de comportamento violento.

Meu ex-noivo foi obrigado pela justiça a se tratar do TPB. Ele se recusou e começou a ficar agressivo.

Primeiro ele contava estórias - as quais eu espero que sejam falsas - dando a entender que ele havia participado de vários assassinatos. Se elas eram verdade, o problema estava óbvio. se não, que tipo de pessoa inventaria uma estória como essa?

Segundo, ele começou a atirar em mim com uma pistola de chumbinho - e continuou a fazê-lo quando eu pedi para ele parar. Era um desprezo pelo meu próprio bem-estar.

Finalmente, em uma noite, ele pegou uma faca e saiu "para salvar Jennifer de um traficante". eu estava apavorada: acreditei que ele me mataria se eu não terminasse logo o relacionamento. Quando ele voltou, eu dei-lhe o anel de noivado e o deixei.

Doeu como fogo, mas eu senti um alívio tremendo em minutos

Questão sobre o relacionamento nº 2: É saudável?

Depois deste disastre, concluí que antes ser feliz solteira do que infeliz casada.

Ele tinha me dado uma placa com um versículo da Bíblia escrito:  1 Coríntios 13:4-7, também conhecido como o "capítulo do amor" ou o "capítulo do casamento" devido a sua popularidade em cerimônias matrimoniais. Esta carta de 2.000 anos é ainda um checkup eficiente para o relacionamento.

"O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta."

Substitua "amor" pelo nome da pessoa que você está envolvida. Quanto menos precisa for a descrição, mais doente o relacionamento.

“Não namore ninguém que você conheceu na terapia.”

Duas pessoas com TPB não deveriam formar um casal. Não cometam meu erro. Um border também não deveria ter um relacionamento amoroso com alguém que tenha algum vício ativo (como eu tinha) ou com alguém recusando tratamento.

Há vantagens em estar solteiro. Como Ann Landers* disse à TIME em 1989: "Isso pode soar muito egoísta, mas adoro a liberdade que tenho. Eu não tenho que me preocupar com ninguém além de mim mesma. Não tenho que pensar em roupas de homem, seus parentes, seus horários, sua dieta ou suas alergias. Eu não me casaria de novo."

Estar solteira é uma vantagem incrível pra mim. O Jornalismo demanda trabalho em horas estranhas, já que as notícias nunca acontecem de 8 às 6 da tarde, de segunda a sexta. Pode exigir uma viagem. Não é surpresa que entre os jornalistas há um alto índice de divórcio.

Não importa o que te digam, você não tem que estar em um relacionamento. Ninguém pode te preencher; tentar preencher um vazio com outra pessoa faz este vazio pior. Você tem que encontrar a plenitude em si mesmo. Tem que encontrar sua própria felicidade, independentemente de estar com alguém ou não. 

Pense sobre isso enquanto come o chocolate que você comprou já pensando no Dia dos Namorados.

* Ann Landers, pseudônimo de Esther Pauline Friedman Lederer (4 de julho de 1918 — 22 de junho de 2002) foi uma escritora e jornalista dos Estados Unidos.

(tradução livre do artigo: "Borderline Personality Disorder, Relationships and Valentine’s Day" - algumas alterações foram feitas por mim, devido à algumas expressões e costumes que só faziam sentido em inglês e referência sobre Ann Landers na wikipedia)


* Gente, não vou mentir. Este Dia dos Namorados vai ser especialmente difícil para mim, pois sou muito ligada a datas. Vai ser meu primeiro depois do término com C., causa de toda a minha crise. Vou dormir e provavelmente tomar um vinho. Porém ando pensando muito sobre isso e entendendo que finalmente preciso aprender a me amar. É difícil. Muito complicado mesmo, pois temos aquela tendência de se culpar por tudo e eu não sou diferente. Só tenho que ter força e pedir que entenda logo que eu não preciso rezar para estar namorando no próximo dia dos namorados e sim para estar bem comigo mesma, independente de estar com alguém ou não.

Para os que vão ficar bem ou mal amanhã, leiam e reflitam, como eu. Ah sim. Meu chocolate já está comprado... ;)


4 comentários:

  1. Que relatos tensos esses aí do livro, menina!

    E eu gostei disso de "conscientização da solteirice", acho que dá pano pra crônica. Quem sabe.

    Fique bem, fique bem!
    Arroche aí no chocolate e deixe o tempo caminhar.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Oi querida
    Acho que não devemos criar estigmas em cima de nada! Quando se está solteiro é uma pressão para arrumar namorado, depois a pressão para casar, depois para ter filhos, mas só a pessoa é quem sabe de si mesma! Eu conheci meu marido muito novinha, casei muito jovem, e sou feliz. Nosso casamento não é perfeito, penso que não existem relacionamentos perfeitos senão seria um tédio, mas depois de 18 anos de casados ainda comemoramos o dia dos namorados. Quero ressaltar que fui diagnosticada com o pior tipo de bipolaridade, meu filho menor chama de "doença raivosa". Então não é porque vc é boderline que está solteira no dia dos namorados, que é mais uma data para os comerciante ganharem dinheiro, vamos combinar. Eu e o Marcos aproveitamos, porque é uma chance de deixarmos os filhos com minha mãe kkkkkkk. Tenho visto no face e em blogs que várias pessoas estão na mesma situação que vc, forever alone, vc ainda vai encontrar uma pessoa bem legal que te ama de verdade!
    Bjos. e #tamo junto!

    ResponderExcluir
  3. Não comprei chocolate, pois estou numa crise de intolerância a lactose, então não posso :(
    E, até que enfim, esse dia não causou nada em mim, é como um dia como qualquer outro. Que bom pra mim! Venci essa coisa de carência de namorado. :)

    Amei o texto todo e está certíssimo, não é um outro alguém que vai poder preencher o vazio. Vc tem q estar completa para só então entrar em um relacionamento amoroso.

    bjins menina, fica firme!

    bipo-analisando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Noosa, ja tinha lido mas só agora vou postar um comentário... Amei o post achei super hiper mega legal, é tão bom ver as coisas sendo explicadas!! Parabéns Amiga!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.