Amigos:

12 de jun de 2013

Depoimento: o amor superando transtornos!



Bom me chamo Junior tenho 32 anos e a Samantha 35 anos, sou apaixonado por ela. Mas vou contar um pouco sobre a gente 

Nos nós conhecemos em setembro e tudo fui mágico, onde parecemos almas gêmeas: mesmos gostos tudo perfeito e ela e romântica e apaixonante, tudo perfeito, um clima de amor no ar que contagiava todos mundo que estava em nossa volta. Foi quando descobrimos o transtorno. No inicio era difícil, uma mudança de humor em forma geral, onde ela demonstrava um mudança de comportamento e isso me assustava de montão por não entender o que era esse transtorno. Falavam de dupla personalidade, que depois fui descobrir que se chamava de transtorno borderline. Fui buscar informações na net e li muita coisa que dava medo de quem sofria isso. Ao primeiro contato fugi, não sabia como lidar em enfrentar esta situação de mudança de apaixonante a ira total, é complicado. Fugi porque é mais fácil do que enfrentar. 

Mas o que fazer se você ama a pessoa com esta doença? Comecei a entender o doença entrando em contatos nos grupos, lendo muito e evitando situações de risco onde podia dar alguma crise, na nossa volta tudo parecia como se estivesse num campo minado onde tudo era motivo, mas queria ter ela e lutaria por isso. Então me joguei de cabeça na relação fazendo e mudando as minhas reações que tinha antes de brigar e bater de frente e evitar brigas. Me esforço a todo instante pra não dar motivos pra causar o transtorno, mas sempre existem as tempestades ou obstáculos a serem superados e em nome do amor irei lutar pra estar ao seu lado, enfrentarei todos os seus humores  porque nosso amor é maior que qualquer mudança de humor ou fase do transtorno. 

Estarei lutando junto com você nos momentos bons e ruins. Estarei colado a você, enfrentando com você cada adversidade em prol do nosso amor.

Te amo aqui agora e sempre, minha Samantha. TE AMO!



** Gente, MORRI com esse depoimento. Faz a gente até acreditar naquela luz no fim do túnel. Meu muito obrigada ao Júnior que escreveu isso pra que eu pudesse divulgar pras pessoas, quem sabe dando uma esperança?

Alguém poderia dar um jeito do C., meu digníssimo ex, ler isso? Obrigada. (risos)

** Quem quiser mandar um depoimento, contando da vida como border, ou se ama um border, enfim, envia pra mim!. Se não quiser nem coloco o nome aqui. Acho interessante esta troca de experiências.

8 comentários:

  1. Emocionante! Faz-nos pensar de cara em duas coisa:
    1- A gente até agora realmente nunca teve alguém que nos amasse de verdade.
    2- ainda há esperanças!
    EU TENHO FÉ!!!

    ResponderExcluir
  2. Essa é a essência do verdadeiro amor... Parabéns ao Junior. Com ou sem transtorno todas nós desejamos ser amadas assim... Desejo Eilan, que vc tb encontre seu par. Bjs

    ResponderExcluir
  3. good vibes pra vc.... deixei um texto no meu blog, gostaria que lesse, abs

    ResponderExcluir
  4. Com ou sem transtorno pode-se amar e ser amado(a), nunca será possível amar quando se confunde a submissão com o amor, nunca será possível amar quem nos faz mal, nunca será possível amar quem não quer saber de nós, nunca será possível amar quem não nos compreende e abandona.
    Amiga, com transtorno ou sem transtorno não sofra por quem não a merece, com transtorno ou sem transtorno parta para outra e encontre a felicidade, com transtorno ou sem transtorno não seja submissa, com transtorno ou sem transtorno viva em liberdade.

    ag

    ResponderExcluir
  5. Lindo depoimento! Sim, faz a gente pensar que ainda há esperanças rsrs Sem dúvida quando se ama realmente, se topa qualquer parada.

    Bjus

    ResponderExcluir

  6. Olá Eilan!
    Deixa eu perguntar..de onde surgiu esse seu nick?
    Muito bonito esse texto. E é aquilo que ás vezes as pessoas, depois de uma decepção amorosa costumam ignorar: é possível uma pessoa amar outra sim. Quem sofre uma decepção amorosa fica reclamando de tudo, maldizendo os relacionamentos e dizendo que nada "bom" e "bonito" como a ficção mostra existe. Aí vira uma pessoa amargurada e chata. Mas é aquilo: amor de verdade existe sim.
    Mas é aquilo...não é todo mundo que está disposto á grandes sacrificios por amor. Cada caso é um caso de modo que não podemos condenar piamente alguém por ela não ter agido do modo que queriámos que ela tivesse agido. Em primeiro lugar, penso, vem o amor próprio e depois o amor por outrém.
    Bom eu devo dizer que mantenho o facebook para poder conversar com os amigos e amigas, trocar idéias, dar umas boas risadas e também divulgar um pouco meu trabalho. Mas acho o face algo mais descontraído e passável, diferente do blog que deixa algo mais profissional. Seu blog é bem interessante porque é uma via de acesso e conhecimento para as pessoas acerca de boderline - devo dizer que aprendi muita coisa aqui e agora fico com raiva de quando vejo essas gurias mimadas se cortando por Justin Bieber...se elas soubessem como é ter esse transtorno de verdade...
    bjs!

    ResponderExcluir
  7. Como faço para mandar o meu depoimento?

    ResponderExcluir
  8. Ronaldo, pode mandar diretamente para meu e-mail: borderlineggirl@gmail.com!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.