Amigos:

10 de set de 2013

Sobre a felicidade



Talvez a felicidade não se encontre em uma vida estável, onde todos os dias sejam de sol e nada pareça ser capaz de perturbar a calmaria. Não... A felicidade se encontra em momentos que vem e vão, fugazes, as vezes quase imperceptíveis. Um sorriso, um abraço, uma palavra, o silêncio que diz mais do que qualquer outra coisa. E é exatamente por isso que toda e qualquer pessoa tem a chance de ser feliz. Porque não importa o quão ruim sua vida esteja, esses pequenos momentos ainda vão existir, é só você valorizá-los ao invés de esquecê-los. Nada é tão ruim que dure para sempre, é o que eu acredito. Preciso acreditar nisso para conseguir seguir em frente, principalmente quando as coisas vão mal. Principalmente quando uma sensação ruim começa a rondar minha vida, que é como eu me sinto na maioria dos dias, como se algo muito ruim estive prestes a acontecer, o que diminui até quase desaparecer qualquer coisa boa que possa estar acontecendo. É o medo que adianta o sofrimento, que me faz lembrar todos os dias onde eu já estive, e para onde eu posso voltar a qualquer momento. É torturante, arrasador.

Mas não é sobre isso que eu quero falar hoje. Hoje eu quero falar sobre a felicidade. Ela está bem aqui, sempre ao alcance, sempre por perto, sempre desvalorizada e esquecida, diminuída, excluída. Por que? Por que nós damos mais valor para as coisas ruins a nossa volta do que para as boas? Por que uma única coisa ruim é capaz de estragar um dia inteiro ótimo? Seria bom se fosse o contrário, seria bom se um único e pequeno gesto ou situação boa pudesse transformar um dia inteiro ruim, mas as coisas não são assim. Quando choramos, não nos lembramos de todos os sorrisos que demos antes dessas lágrimas e muito menos pensamos que ainda teremos infinitos sorrisos pela frente. É como se fosse o fim do mundo, a cada tombo ou tropeçada, o fim do mundo. Como se tivéssemos ido morar em um lugar onde a felicidade não nos pode mais alcançar. E isso não é verdade, não existe lugar no mundo onde não exista um pingo que for de esperança, esperança de que um dia nós iremos voltar a sorrir. Nós iremos voltar a sorrir, pode ter certeza.

Então enxugue essas lágrimas e levante novamente. Não importa quantas vezes você caia, a felicidade continua bem ao seu lado, só basta você se levantar. Não desista. Você tem tanta chance de ser feliz como qualquer outro. É o que eu acredito pelo menos, é o que me faz seguir em frente.

(Por Sabrina Silva.

Visite o meu blog! -> http://yoyo-sah.blogspot.com.br/)

4 comentários:

  1. Belíssimo texto! A vida dá voltas, dias melhores virão! :D
    Todas as marcas de sofrimento significam que vivemos. E a vida vale a pena!

    ResponderExcluir
  2. òtimo texto Sabrina, e posso dizer que caiu como uma luva para mim. Realmente é estranho como uma notícia ruim ou um ato, gesto, ou a ausência disso nos faz tanto mal, capaz de estragar todo um bom dia que poderia ter. O lado bom disso é que com as oscilações de humor, sei que isso não é eterno. Embreve me sentirei bem... Por não sei quanto tempo, mas de vez em quando a dor diminui, e isso é mesmo muito bom.

    Só posso lhe dizer OBRIGADA, Muito obrigada pelo texto, com certeza me senti menos "dolorida" ao ler.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. O tal clichê "levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima" é toda vida possível. A gente pode pensar que não, mas há de sempre ter força pra recomeçar... E ser feliz.

    Muito lindo, moça.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. que texto inspirador! que ânimo ver vc falando em felicidade...
    beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.