Amigos:

26 de mar de 2014

Quais os sinais de auto-mutilação em alguém com TPB?




A mídia nos dá uma imagem deturpada e esteriotipada de alguém que pratica a auto-mutilação, invocando imagens de adolescentes magros e sombrios, provavelmente com o cabelo tingido e vestidos de preto.


Assim como qualquer outro estereótipo, esta imagem pode ser aplicada a alguns que se envolvem em auto-mutilação , não chega perto de abranger a grande variedade de pessoas que fazem tal prática ou, mais importante ainda, as razões para as pessoas se envolverem neste comportamento.

Auto-mutilação é normalmente um sinal de um problema muito maior e é muitas vezes um sintoma de um distúrbio de saúde mental, como Transtorno de Personalidade Borderline ( TPB ) . O problema com o estereótipo é que podemos fechar os olhos para um amigo, um ente querido, ou colega de trabalho que podem estar se prejudicando, porque eles não se parecem com a pessoa " normal " que se auto -flagela.

Sinais de auto-mutilação:

Comportamentos auto- lesivos não discriminam. Qualquer pessoa, de uma empresária bem-sucedida ao melhor amigo de seu filho adolescente podem estar envolvidos. Mas se você não reconhecer os sinais de auto-agressão você pode nunca perceber, já que a maioria das pessoas que se envolvem em autolesão não medem esforços para cobrir as evidências.

Os sinais de auto-mutilação incluem os seguintes:

- Arranhões finos, quase como feitos por gatos;
- Machucados incomuns ou queimaduras;
- A pessoa usa regularmente mangas compridas ou roupas pesadas , mesmo se está quente;
- A pessoa parece deprimida ou ansiosa;
- A pessoa torna-se irritada ou na defensiva , se perguntada sobre os hematomas, queimaduras ou cortes.

Por que as pessoas fazem isso?

A auto-mutilação é também conhecida como auto- lesão não- suicida, já que aqueles que se dedicam a ela normalmente não pretendem acabar com a suas vidas. Então, por que elas fazem isso?

Há muitas razões:

- A auto-mutilação pode ser um mecanismo de enfrentamento, a dor sendo física e controlada, contra uma dor emocional incontrolável de um trauma passado, como abuso sexual ou negligência infantil;
- A auto-mutilação pode distrair alguém de tensões cotidianas, tais como problemas de relacionamento, problemas financeiros , ou um ambiente de trabalho estressante;
- A auto-mutilação pode ser uma tentativa de chamar a atenção de outros, ou um grito de socorro;
- Pode até ser um sintoma de psicose. A pessoa pode realmente ter ouvido "vozes", advertindo que se não se cortar, bater sua cabeça contra a parede, ou se envolver em outra auto-agressão, algo ruim vai acontecer.

Nem todo mundo que se mutila sofre de psicoses, é claro. Ainda assim, não há realmente nenhuma quantidade segura deste comportamento, então a ajuda deve ser procurada.

A auto-mutilação pode, de fato, levar a danos físicos irreparáveis. Em última análise, pode até mesmo levar a morte por um corte muito profundo ou de uma infecção resultante dele.

Há outras maneiras de enfrentamento saudáveis ​​lá fora. Há ainda terapias que pode ajudá-lo a parar seus comportamentos auto- prejudiciais.


****************************************

- Faz um tempo que eu não me corto. Sei lá, não sei bem como falar sobre isso. Fiz dois pequenos cortes na barriga um tempo desses, não me lembro o motivo, acho que estava frustrada. As vezes sinto falta como a que sinto de um cigarro. Às vezes nem lembro que eu fazia isso, até olhar para as minhas cicatrizes nos braços, que hoje andam expostas aos olhares do mundo, pois me cansei de usar sempre as mesmas roupas, todas de manga, e consequentemente morrer com o calor pernambucano.

Sinto falta de muitas coisas e fico pairando entre esse meu mundo border/real, onde sinceramente não sei onde me encaixo. Na dúvida é que a lâmina me chama. Lembro da sensação de paz e tenho vontade de fazê-lo. As vezes eu caio, mas no outro dia eu recomeço, como se tivesse simplesmente saído da dieta.

Cada dia é mais um, que eu saí da cama, que trabalhei, que lutei, que consegui, enfim.

Ainda acredito.


5 comentários:

  1. Ótimo post... Os borders elaboram autênticos rituais de automutilação diários, pelo que sei é uma maneira de vcs se punirem pela culpa e vazio constantes que sentem... Tbm há quem arranque os próprios cabelos, corte pedaços de pele junto às unhas, aperte os dedos propositadamente nas portas... Não há palavras pra descrever não é?

    ResponderExcluir
  2. Adorei o post, Eilan!
    Lembra de mim?
    Um bjo.
    acidia28.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Perfeita a discrição do sentimento que nos leva a isso :(. Um alívio passageiro mas as vezes necessário.

    ResponderExcluir
  4. bom sempre me cortei mas nuca quiz que alguem se senti-se do mesmo jeito que eu então eu prefiro da conselho para aqueles que precisa e quem quizer conversa eu to aqui e esse é meu numero 953555840...sei o que é ser magoada esquecida umilhada mas sei que eu vou consegui enfrenta muitas coisas me ligue se quiserem conversa!!

    ResponderExcluir
  5. Minha namorada é borderline. Ela tem uma forma de auto-mutilação bem disfarçada que eu gostaria de colocar aqui para ajudar pessoas que estão tentando identificar os sintomas desta doença. Ela utiliza o alicate de unhas para tirar a cutícula todos os dias, mesmo quando não existe mais cutícula, ela continua cutucando e ferindo a carne ao lado das unhas em uma forma discreta de auto-mutilação.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.