Amigos:

25 de mai de 2014

Quando experimentar uma droga se torna vício.





(post da Becky, do More Than Borderline)

Se você olhar meu histórico no Hospital Estadual de Richmond, vai ver que eu sou fumante de maconha. Não acho que isso deveria fazer parte do meu prontuário médico, já que só fumei duas vezes, ambas por razões médicas. Porém, porque a maconha não é aprovada para usos medicinais em Indiana, isso aparentemente me fez uma viciada.
Aí fiquei pensando: quando que "experimentar uma droga" se torna vício?

Quando você não consegue parar:

A primeira  vez que usei maconha eu estava me recuperando de uma cirurgia. Os analgésicos me deixavam com fortes náuseas e meu irmão insistiu que eu experimentasse algo diferente.  Em minutos, o enjôo sumiu. A sensação de estar chapada era agradável e eu logo percebi porque as pessoas arriscavam serem presas por ela - também compreendi como alguém pode se tornar viciado.

Experimentar é normal, vício não. Como eu disse, a pergunta é: "Quando experimentar se torna vício?"
Um sinal de que você está se viciando é quando não consegue parar de usar a substância. Se você tem que usar, se nunca é o suficiente, se você não pára apesar das consequências negativas, então experimentar se tornou vício.

O ato de experimentar se torna vício quando a substância em questão é a coisa mais importante no mundo,  quando sua vida gira em torno de conseguir e usá-la.

Quando você usa a droga para tratar sua doença mental:

Usei maconha pela segunda vez quando eu estava tentando lutar contra um episódio psicótico. Resumindo: não funcionou e meus amigos me internaram. Existe uma correlação entre a psicose e o uso de maconha, mas não é claro se você usa esta substância porque é psicótico ou se está assim porque a usa. Porém não importa - quando você faz uso de uma droga para tentar tratar sua doença mental, corre o risco de se viciar

A auto-medicação não funciona. Eu usei o álcool para tratar os meus sintomas do transtorno de personalidade borderline sem perceber que eu os estava piorando ao invés de melhorar. A medida que fiquei pior, minha solução era beber mais. Se isso descreve como você usa alguma substância, você tem um vício

Quando você pensa que tem um problema com drogas:

Se chegar a este ponto, seu ato de "experimentar" se tornou vício. Dito isso, você provavelmente é a última pessoa a se dar conta que tem um problema.

Minha terapeuta um dia me perguntou se eu já tinha considerado ir para os Alcoólicos Anônimos - respondi que a coisa não estava assim tão ruim - fato que ela discordava. Permaneci em negação pelo resto do ano até perceber que ela estava certa: eu tinha um problema.

Eu percebi muitas outras vezes que eu também tinha um problema com as drogas: quando eu me desesperava por estar ficando sem, quando vagava pelo centro de Indianapolis procurando por um bar aberto no dia de Natal porque eu precisava de um drink, quando o limite que eu me impunha era não sentir mais meu rosto.

Então o que fazer? Um terapeuta disse pra minha família que se um viciado não estava indo às reuniões, estava usando (eu discordo, já que fiquei sóbria por 3 anos sem ir para as reuniões). Reconhecer que tem um problema é o primeiro passo para resolvê-lo. Porém temos que fazer mais do que isso - precisamos agir. Que seja o programa dos 12 passos, rehab ou terapia, temos que fazer alguma coisa.

Mesmo que "experimentar" se transforme em vício, há esperança que possamos parar.

******************

Quantos borders que já me escreveram dizendo que "não gostam da terapia", "não querem os remédios"? Gente, o problema que temos é real. Tem que tratar. Existe possibilidade do diabético ficar sem insulina? Não. A gente fica irritado quando a sociedade não trata nosso problema como sério, mas somos os primeiros a não entender o básico.

Não sou perfeita, não estou estável, me dá muita vontade de chutar o balde sim, mas... Eu luto. Mesmo quando não acredito.

PS: tão acontecendo umas coisinhas legais aqui pro blog... reconhecimento do meu trabalho. Por enquanto é TOP SECRET!




Um comentário:

  1. Já vi muito conhecido experimentar e afundar a familia por perder o controle.. na minha própria familia tenho um tio que usou tudo.. um vizinho que injetou na veia tá fora até hj.. e tudo começou na maconha.. no experimentar..
    segundo olhares clarividentes drogas, bebidas e toda esta porcaria deixa ao redor da pessoa uma camada tão densa que as doenças acabam por penetrar o aura e a pessoa fica doente em várias partes e órgãos.. deviam buscar conhecimentos ao invés de um cigarro de maconha.. mas cada um na sua caminhada tenha um lindo dia

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.