Amigos:

4 de out de 2014

Homens também podem ter o Transtorno de Personalidade Borderline.




O Transtorno de Personalidade Borderline é geralmente considerado como um transtorno "de mulher". Mas os homens podem ser borders, também. 

Therapy Soup dá as boas vindas a Dr. Robert Fischer. Dr. Fischer é o Diretor Executivo do Optimum Performance Institute, em Woodland Hills, CA. O Roanne Program  é especializado em tratar jovens adultos com o Transtorno de Personalidade Borderline ou com alguns traços dele.

Quando as pessoas pensam em uma pessoa com um diagnóstico de transtorno de personalidade borderline, eles pensam de ser doença de uma mulher. No entanto, os homens também podem ter o TPB. Quantos homens border e qual a percentagem de todos os doentes com o TPB são homens? 

Anos atrás, os médicos relutaram em fazer o diagnóstico de DBP, em parte porque os tratamentos disponíveis não estavam produzindo resultados favoráveis e, portanto, não havia muita esperança para a recuperação total. 

Com o advento da Terapia Dialética  Comportamental e outras modalidades terapêuticas, é claro que podemos fazer muito para ajudar as pessoas com o Borderline para melhorar a qualidade de suas vidas. Fizemos grandes progressos no de-estigmatizar o diagnóstico de TPB nas mulheres. 

Finalmente, estamos a dar o próximo passo e fazer o mesmo para os homens. 

Pesquisas anteriores mostraram que os homens eram cerca de 25% dos casos de TPB. Hoje sabemos que é um notável 50/50. 

Como o TPB em homens difere do TPB em mulheres? 

A literatura científica indica que as mulheres com o TPB são mais propensas a distúrbios alimentares, de humor, ansiedade e TEPT (Transtorno de Estresse Pós-Traumático), enquanto os homens demonstram paranóia, tendências passivas / agressivas, o narcisismo, e transtornos de personalidade anti-social. Homens com TPB parecem ser mais propensos a abusar dos cônjuges em vez de direcionar a raiva a si mesmos. Eles demonstram personalidades caracterizadas por temperamentos explosivos, abuso de substâncias e uma necessidade de buscar experiências emocionantes. 

Embora isso possa ser apoiado pelos dados, eu acredito que dá uma impressão muito pejorativa dos homens. Na verdade, não há diferença entre mulheres e homens em termos de seus níveis de estresse psicológico. Ambos são seres humanos que sofrem tremenda ansiedade. Tanto os homens como as mulheres estão sujeitas a sua genética e exposição social  possivelmente abusiva , como todos têm a necessidade de serem validados. 

Certamente, no Programa Roanne, vemos homens com TPB que não se apresentam transtorno de personalidade anti-social. Eles não são paranóicos. Eles são muito diferentes do que esta rotulagem estereotipada. 

Como olhamos para alguém em dificuldade determina, em parte, como nós os tratamos. 

Há sempre alguma verdade as generalizações sobre comportamento, mas cada pessoa é única. É importante cautela ao colocar uma pessoa em caixas calculadas estatisticamente. Ninguém merece ser estereotipado. 

São as causas ou antecedentes que diferem para o TPB em homens x mulheres? 

As causas específicas ou antecedentes podem ser diferentes. Mas homens e mulheres com o TPB compartilham uma dificuldade subjacente na gestão de stress e ansiedade. Podem haver causas neurológicas ou genéticas e podem haver diferenças nas formas de lidar com o sentimento de invalidação. Isso leva ao border a se distrair e encontrar dificuldades para completar seus objetivos. Não ser capaz disso faz causa problemas com a auto-estima. Este ciclo de sentimentos e comportamentos pode fazer difícil de estabelecer relações consistentes e carinho com os outros. 

Tanto os homens como as mulheres sofrem igualmente. 

Às vezes vemos homens com algumas características de quem sofre de TPB, mas eles têm outros marcadores do transtorno de personalidade também. Por exemplo, o transtorno anti-social de personalidade e o TPB às vezes parecem se sobrepor. O Transtorno de Personalidade Narcisista, em alguns casos, também. Você pode comentar sobre isso? 

Certamente existem muitos homens com TPB que também têm personalidades anti-sociais e narcisistas. 

Para este grupo a ajuda deve ser entregue de uma forma abrangente, abordando os comportamentos de agressividade e anti-sociais, proporcionando contenção, bem como compaixão e compreensão. Pode ser extremamente difícil prestar cuidados significativos e adequados para os homens (ou mulheres) que têm comportamentos anti-sociais. 

No entanto, os jovens com os quais temos trabalhado geralmente não parecem anti-sociais. Isso me leva a crer que existem muitos homens que poderiam se beneficiar e que são merecedores de cuidado, mas podem estar relutantes em apresentar-se para a ajuda, porque eles sentem que não se encaixam no diagnóstico atual do TPB. 

Os jovens que vemos para o tratamento para o TPB claramente demonstram os processos de pensamento subjacentes, ou seja, estilos de pensamento em preto ou branco rígidos e perfeccionismo. Eles acham difícil se comprometer, o que torna sua capacidade de estabelecer relacionamentos íntimos mais difícil. Vendo o mundo dessa maneira muito em preto ou branco também faz com que seja difícil para eles conseguir dominar os altos e baixos que vêm com a realização de metas complexas porque os baixos são experimentados como catastróficos e avassaladores. 

É claro que essa maneira de ver o mundo é comum. Todos nós fazemos isso às vezes. Mas quando ela se torna a forma predominante de lidar com o estresse e a ansiedade, torna-se problemática, especialmente em pessoas que são propensas a ter oscilações emocionais intensas. 

A associação de narcisismo e comportamentos anti-sociais com DBP, creio eu, pode ser em parte um artefato do grupo de pessoas em quem os estudos foram baseados. Um sistema de diagnóstico que é baseado em observações comportamentais estatisticamente válidas mas que não trata da vida interior, produz um sistema que pode ter verificabilidade, mas, muitas vezes tem pouca semelhança com o indivíduo sentado em um consultório. 

Esse é um ponto muito importante, Dr. Fischer. Temos que entender que a imagem que temos pode não ser completa, ou mesmo verdadeira, e que cada pessoa em tratamento é um indivíduo. 

O quadro fica ainda mais confuso quando se observa como muitos outros diagnósticos, tais como depressão, ansiedade, bipolaridade e TDAe TDAH são também uma parte da realidade em homens e mulheres com diagnóstico de TPB. 

Nosso sistema de diagnóstico, creio eu, simplesmente apresenta diretrizes que podem ser úteis. 

(tradução livre do artigo: "Men can have Borderline Personality Disorder, too")


Robert F. Fischer, MD, é diretor executivo e co-fundador do Instituto Optimum Performance (OPI), uma terapêutica credenciada do JCAHO , programa residencial e educacional para o jovem adulto, em Woodland Hills, CA.  Programas Roanne da OPI é especializado no tratamento de jovens adultos com Transtorno da Personalidade Borderline ou traços. Dr. Fischer é professor clínico assistente de psiquiatria, David Geffen da UCLA School of Medicine, Departamento de Psiconeuroimunologia, Instituto de Pesquisa consciência atenta. Ele tem ajudado os jovens adultos encontrar um significado em suas vidas por quase 35 anos.



3 comentários:

  1. Porra mais e foda ser homen e ter TPB.
    nao tem ombro pra chorar, nao tem quem entenda, e um inferno, uma solidao sem fim. A única companhia e a dor no coração.


    Preciso de remédios, alguma dica?
    drancer410@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito sentimento, é sinal de amor, muito amor é sinal de espirito.Tente enxergar o espirito, nas pessoas que o têem. Jamais se compare com os outros. todos somos diferentes, e nos atraímos ás avéssas, tente alimentar sua alma(música,paisagens e doações a necessitados de afeto, principalmente as crianças, não se preocupando com os que muito arquitetam e pouco amam) e só quem tem um grande espirito pode entender-te. quem não o têem, vai rir de você, pois na VERDADE não sabem do que você está falando, são somente carne muito astuta e inteligente. E vão mais atrapalhar do que ajudar-te, Quando se sentir com a alma completa e cheia de amor, ai sim estará pronto para conviver com qualquer um sem ser sugado(O maior mestre não quer que seus alunos fracassem nos testes, e sim que dê exemplo pra turma). Desculpe qualquer coisa! todos que têem algum transtorno sempre pensam que estão sendo atacados(defesa). A intensão não é essa, acho que sou o mais transtornado. E cuidado com as filosofias vazias da Internet, balela é balela. Ouça :(enrique iglessias (bailando),guilherme e santiago(meia-noite e meia e jogado na rua) Se vigie para não fazer besteira. A CULPA É O NOSSA MAIOR INIMIGA, DEIXE Á IR EMBORA, NÃO FOI VOCÊ QUE A INVENTOU, QUANDO VOCÊ CHEGOU AQUI, ELA JÁ CAÇAVA INSISTENTEMENTE UMA PRESA.

      Excluir
  2. Tenho uma sobrinha que é border. Qual a possibilidade dos filhos dela serem? existe algum exame ou análise a ser feita para detectar esse transtornos na infância e ou um possível tratamento o mais cedo possível?

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.