Amigos:

26 de dez de 2014

Sobre Dupla Identidade.




Um dia eu estava conversando no WhatsApp e aparece a mensagem: "Glória Perez deixou uma mensagem pra você". E foi assim que comecei a minha história com o seriado Dupla Identidade. No começo eu não acreditava que a coisa iria tão longe. Sabe quando é muito bom pra ser verdade? 

A cada e-mail trocado com a Débora, com a Glória, a cada pergunta respondida, foi crescendo a minha ansiedade, mas insistia em manter os pés no chão. Se eu voasse muito alto, podia acabar caindo feio, na minha cabeça. E não estava ajudando pensando em aparecer na TV, na internet, enfim. Eu só queria ajudar. Só a visibilidade para o transtorno que o seriado traria seria suficiente para que eu fosse recompensada.

A partir de julho, tudo aconteceu rápido: apareci no GSHOW, Fátima Bernardes, enfim... Graças à Glória eu hoje posso mostrar minha cara, meu nome, minha luta. Eu posso tatuar o símbolo do blog no braço, eu posso dizer que tenho o Transtorno de Personalidade Borderline e mesmo assim trabalho, ganho meu dinheiro, pago minhas contas. Que faço terapia sim, que tomo remédio sim, e que ninguém pode usar isso contra mim. Posso lutar contra o estigma com minha própria voz.

E a Ray foi nossa voz. Cada vez que eu a via ali, chorando, se cortando, confusa, angustiada, enraivecida, eu me via, exposta nas minhas fraquezas e qualidades, como tantos outros que com certeza sentiam a mesma coisa. Ela foi nossa primeira porta para que o Brasil soubesse que não somos simplesmente dramáticas e chamadoras (es) de atenção. Amei e sofri cada minuto. 

Por que estou contando tudo isso aqui? Porque o que aconteceu comigo é prova de que a vida reserva coisas para nós, e não fazemos idéia do que seja. Quando eu criei este blog eu estava num lugar muito escuro. Eu me cortava diariamente. Pensava em morrer sempre. Não saia de casa. E esse mesmo blog me salvou, quando a maioria daqueles que eu conhecia me virou as costas. Se alguém me dissesse que menos de dois anos após criar este espaço eu estaria na Globo, eu ia rir muito, afinal de contas, não achava sequer que estaria viva.

Foi no ajudar pessoas que me ajudei, me levantei e por isso luto, dia após dia. O blog transformou minha dor em troféu. Eu não estou "curada", caio, levanto, e são as mensagens de estímulo de vocês que me dão forças para continuar.

Que tudo que aconteceu comigo sirva de mais um exemplo que há esperança. Que as vezes fazemos coisas e pegamos caminhos os quais nem imaginamos, mas que o retorno acontece, a vida surpreende. E que, apesar de muitas vezes não acreditarmos, ela vale a pena ser vivida sim.


10 comentários:

  1. Parabéns, se tudo isso aconteceu, é porque você se dedicou, se esforçou para ajudar aqueles que lhe procuraram e acessaram o seu blog.

    ResponderExcluir
  2. Parabens pelo blog! Venho acompanhando sempre, pois tenho estudado muito na busca sobre o que se passa com o meu namorado...eh doloroso pra quem tem e angustiante pra quem esta perto...Ele ainda acha q n precisa se tratar, mas ainda tenho esperanças de q ele consiga chegar a compreender esta necessidade. Obrigada pelo espaço. ,:-*

    ResponderExcluir
  3. Vi seu blog graças a cena em que a Ray aparece escrevendo para vc, aí fui atrás e comecei a pesquisar, me vejo muito em cada frase sua. Obrigada está me ajudando muito.

    ResponderExcluir
  4. Graças ao fato de te ver no programa da Fátima Bernardes, eu conheci sobre o TPB, eu não entendia nada do que se passava comigo... E agora entendo bastante coisa, a cada dia tento seguir em frente, e gosto bastante do seu blog, pois fico feliz por descobrir que não sou a única... E que é algo que podemos superar, fico feliz com suas postagens e espero que continue com o blog, obrigado pela atenção o/

    ResponderExcluir
  5. Poxa que legal, que você continue assim vencendo o seu emocional cada dia.. Deus vai te ajudar tenho certeza e todos os que são TPB não podem desistir, e que há esperança!

    ResponderExcluir
  6. Vc é uma inspiração!!

    ResponderExcluir
  7. Poxa, que legal... fico feliz pela sua conquista e gostaria muito de ter visto, tem o vídeo? Já tive vários blogs tbm, o primeiro era como um diário, mas abandonei. Dai comecei um novo, chamado Música e poesia, sempre escrevo, quando vem a inspiração e tbm tive um outro blog a fim de ajudar novas bandas, novos músicos. O projeto teve uma boa duração, conquistei amigos e parcerias com outros sites musicais e até com o Showlivre. Fazia como hobbies e levava a sério o trabalho, já que não trabalho e sempre na procura de algo útil para fazer... mas passaram os dias e comecei a abandonar, até que abandonei de vez e enfim, tédio. Muitos pedem para eu voltar, até mesmo profissionais de outros sites, mas... Comecei um novo projeto esse ano de 2015, e dessa vez é sobre fotografia, fiz meu primeiro trabalho/evento no dia 16 de maio, não cobrei nada e, era casamento de uma amiga. Desde pré - wedding até a festa, cliquei tudo sozinha e depois editei. Ela gostou muito e eu realizei porém meu maior medo é cair no tédio e acabar com tudo...
    Me identifiquei muito com vcs, vejo que não sou a única...

    ResponderExcluir
  8. Poxa, que legal... fico feliz pela sua conquista e gostaria muito de ter visto, tem o vídeo? Já tive vários blogs tbm, o primeiro era como um diário, mas abandonei. Dai comecei um novo, chamado Música e poesia, sempre escrevo, quando vem a inspiração e tbm tive um outro blog a fim de ajudar novas bandas, novos músicos. O projeto teve uma boa duração, conquistei amigos e parcerias com outros sites musicais e até com o Showlivre. Fazia como hobbies e levava a sério o trabalho, já que não trabalho e sempre na procura de algo útil para fazer... mas passaram os dias e comecei a abandonar, até que abandonei de vez e enfim, tédio. Muitos pedem para eu voltar, até mesmo profissionais de outros sites, mas... Comecei um novo projeto esse ano de 2015, e dessa vez é sobre fotografia, fiz meu primeiro trabalho/evento no dia 16 de maio, não cobrei nada e, era casamento de uma amiga. Desde pré - wedding até a festa, cliquei tudo sozinha e depois editei. Ela gostou muito e eu realizei porém meu maior medo é cair no tédio e acabar com tudo...
    Me identifiquei muito com vcs, vejo que não sou a única...

    ResponderExcluir
  9. Deus. Ele te ama mt. E nada acobrece por acaso.

    ResponderExcluir
  10. Tenho 18 anos sou tpb,não é só mulheres que se atraem por serial killers estupradores,sádicos sexuais enfim,sou homem homossexual e sou a prova disso. É interressante saber que esse vazio que sinto é tao grande a ponto de achar que aderindo minha vida a um criminoso e por ele viver,este vazio será preenchido. Acho que muitas daquelas que se casam com eles passam por isso.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.