Amigos:

14 de jan de 2015

Trocando Experiências - Procurando ajuda


Olá Nath,

Sei que deve receber muitos emails e que talvez nem chegue a ler o meu. 

Mas ao pesquisar sobre a personagem Ray da Débora Falabella, acabei chegando ao seu blog. 

Ao ler a sua saga me identifiquei muito com você, desde a época da infância, pois eu também sofria bullying na escola por ser mais gordinha e até hoje não aceito a minha imagem, mas principalmente quando você trata sobre seu término de namoro.

Sempre fui problemática, com sentimentos de inferioridade, nunca fui de namorar, sair com garotos, pois sempre acreditava que ninguém nunca iria querer sair comigo.

Meu último relacionamento foi doloroso, marcado por indas e vindas, discussões e ciúmes. Onde eu fazia o impossível por ele, com um medo terrível de ser abandonada (aliás, a ideia de ficar sozinha me causa pavor). Quando ele terminou comigo, foi como se minha vida estivesse indo embora, não tinha mais ânimo pra sair, até porque ficava com medo de vê-lo ele e reviver todos os sentimentos, não comia e nem conseguia dormir. 

Mesmo não estando mais junto, ficava esperando ele mandar uma mensagem, ligar só para dizer que estava com saudades, ou pedindo desculpas e dizendo que eu fui especial pra ele, mas como isso não acontecia ficava sempre me culpando, repassando cada palavra dita, cada atitude, cada momento tentando ver no que eu tinha errado. E eu sempre me culpava.

Isso dói muito...um sentimento de vazio, parece que todo mundo ao seu redor está feliz e você não, se você vê alguém sorrindo sente raiva por não conseguir sorrir, e logo dá aquela vontade de chorar.

E quando precisa de um amigo, pra chorar, para ouvir suas loucuras..ninguém nunca está disponível, mando mensagens e ninguém responde, fico me culpando..achando que me acham chata, e ninguém quer ficar ao meu lado me sinto mais lixo ainda. Porque temos que ser assim? As vezes choro de raiva..por eu ser assim, por ter as emoções a flor da pele e isso dói.

Ao ler seu blog...foi apertando minha garganta e as lágrimas foram caindo, pois sei exatamente como é que você se sente. 

Nunca procurei ajuda, mas esses dias tomei coragem e mesmo com vergonha, vencendo preconceitos irei a um psiquiatra. A consulta já está marcada, espero que me ajude.

Parabéns por ser batalhadora e ser um exemplo para tantas pessoas que passam por isso também.


Querida,

Eu leio todos os e-mails que me mandam... Infelizmente eu tenho uma vida muito corrida e não tenho tempo de responder a todos, por isso de vez em quando publico alguns e escrevo as respostas, até porque sua angústia pode ser a de várias outras pessoas.

A idéia do blog foi exatamente para as pessoas verem que não estão sozinhas... Que não somos ETs e que existe esperança. Para todos.

Fico muito feliz de você ter tomado coragem e procurado ajuda. Sua vida vai começar a melhorar e tenho certeza que vai começar a valer a pena ser vivida.

E obrigada pelas palavras de carinho!!

Beijos!

Nathy

14 comentários:

  1. Vê, Naty, sua coragem encorajando outras pessoas. Estou na torcida por essa menina, que tudo realmente comece a clarear.

    Beijos às duas.

    ResponderExcluir
  2. Olá, gostaria de fazer algumas perguntas (que não seja nesse comentário) em anonimato.
    Gostaria de saber como ajudar minha namorada diagnosticada, grato desde já !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, a melhor maneira é vc ter paciente e amor pq o caminho dela nao sera facil!
      Incentive a buscar uma ajuda profissional, um psicologo e psiquiatra, de preferencia que sejam bons profissionais! Ela tomando os remedios certos e fazendo a terapia sempre é a melhor maneira para ela viver melhor!
      Espero ter ajudado ;)

      Excluir
  3. Eu adoro esse seu blog
    e sempre o recomendo a pessoas que eu gosto.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  4. Sofro depressão des dos 12 anos de idade, abandonei a escola, fiquei 1 ano trancado num quarto deitado(literalmente), esperando a morte chegar. Briguei com varios amigos, perdi muita gente. Já tentei suicidio de todas as formas possiveis. Fui diagnosticado com borderline aos 16 e o pior ainda, sofro preconceito por ser homem e ter essa doença que consideram de menininha que quer atenção, em todo caso, sofri muito pelo fato de isso ser a doença da "moda"entre as pessoas que querem chamar a atenção(não digo q ninguém tem e só eu sou exclusivo, mas digo aquelas que vão ao psicologo uma vez e para não perder tempo, diagnostica isso{já aconteceu com conhecidos}, mas no fim era só uma tristeza corriqueira na pessoa). Já fui diagnosticado como incuravel, por 5 psicologos, o que gastei em medicos para a cabeça, daria para comprar um carro completo, zero e com tanque cheio. Venho lutando com isso a exatamente 8 anos. Não tem como mentir q a vida é um inferno, cada dia de minha existencia é um fardo pesado e terrivel, cada segundo é pior que o outro, a escuridão, a insanidade te dominam da forma mais terrivel e você acaba a mercê dela. Felizmente decidi lutar cada vez mais contra, tentar controlar emoções e afins, descobri que a cura só acontece quando estamos dispostos a ser curados de verdade.
    Muitos falaram pra mim, outros que compartilham do mesmo, disseram que eu nunca tive, mas é quando tu tá no fundo do poço mesmo, você tem duas opções: aceitar e morrer ali, ou ficar bravo e olhar para o céu e ver as estrelas, que só podem ser vistas no fundo. Eu lutei sozinho até agora, 8 fucking anos lutando só eu e Deus(Se eu contar tudo que passei, dá um livro e eu falo isso muito sério), invejei aqueles que tinham amigos que ajudavam e davam um ombro nas dificuldades ou familiares que podiam pagar tratamento caro e medicos de alto nivel(muitas vezes pessoas me negavam o ombro por eu ser feio e gordo, me destruindo cada vez mais). Nem que eu tenha que escalar cada milimitro desse abismo terrivel, nem que cada segundo eu apanhe cada vez mais, não morrerei até vencer isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CARA, acabei de ser diagnosticada, e lendo sobre o TPB e vendo que nao tem cura eu realmente tava surtando, mas encontrei sua mensagem, obrigada por ser forte ANJO! estamos juntos!

      Excluir
  5. Oi Natty voltei com um novo blogger, dá uma passadinha por lá
    http://tadllaaraujo.blogspot.com.br/ ABÇ..

    ResponderExcluir
  6. Grupo de conversas no whats app para pessoas borderlines, com depressao e automutilação. Envie mensagem para 11 969809967

    ResponderExcluir
  7. Amo seu blog... me ensinou e continua me ensinando muito sobre o TPB!
    Parabens por ajudar tanta geeente ^^

    ResponderExcluir
  8. Eu sempre achei que era doida,arrastando alguns relacionamentos sem sentido sem nenhum tipo de afinidade, sofrendo barbaridade sofrendo humilhações que nunca tive coragem de lembrar. É libertador saber sobre o assunto

    ResponderExcluir
  9. Preciso desesperadamente de ajuda! Não sei oque fazer, nem oque tenho, nem como procurar ajuda!
    Eu sofri muito de bullyng por ser meio "fofinha", tenho 1,56 de altura, peso 59 kilos... sou obsecada por peso, por tentativas frustradas de emagrecer, tenho muito medo de ser rejeitada, meu pai biológico não se importa comigo ele nem me liga, me sinto muito rejeitada, as pessoas que tanto confiei, que tanto amei foram as que mais me magoaram, eu tento sempre agradar os outros e de fato nem sei quem sou, acho que eu nem sou, sou um acidente horrível que nao deveria existir, e por isso sou estranha e problemática, nao sei oque tenho, não sei como lidar com os ataques de raiva, frustração e tristeza que aparecem do nada, tem dias que estou me sentindo ótima e do nada me sinto péssima, sempre me sinto inferior, incapaz, não consigo controlar minhas emoções, e por isso me mordo, me belisco, me automutilo, isso me da uma sensação de alívio da dor emocional, não sei como explicar, tenho dificuldade em meus relacionamentos, sou muito solitária, as vezes tenho vontade de gritar socorro mas parece que não tenho voz, e me corto denovo, ta muito difícil pra mim, sou uma pessoa gorda, feia, deprimida, estranha, imprestável, tenho dificuldade de prestar atenção nas coisas, sou muito anciosa, não sei como lidar com tudo isso! Não me preocupo comigo, ultimamente tenho pensado que morrer seria tão mais fácil, sinto como se meu mundo tivesse desabado, nao consigo lidar bem com perdas, rejeicoes, críticas... eu amo a minha mãe mas ela me magoa muito as vezes e nem percebe, com as palavras... qualquer coisa que acontece é culpa minha, até quando meu irmão apronta e extressa ela sobra pra mim!
    Eu me sinto desesperada, parece que estou gritando sem voz, ao mesmo tempo que nao me sinto nada bem, sempre digo que estou bem e disfarço com um sorriso, ao mesmo tempo que sinto que preciso de ajuda não consigo contar isso, e acho que minha mãe nao ia entender se descobrisse, acho q ela ia chorar, dizer que to doida, não sei, mas acho que ela não reagiria bem... e eu mesma nem sei oque tenho, não sei como lidar com isso... me ajudem por favor! mas sem críticas por favor, pois nao sei se suportaria...

    ResponderExcluir
  10. Me identifico claramente com ela... a história dela, minha história. Ainda te envio e-mail contando. Que nós consigamos ser feliz...

    ResponderExcluir
  11. Minha vida ta um transtorno e só agora que consigo enxerga que tenho
    o bordeline, quero procurar ajuda porque pedi meu marido e tenho medo de perder minha filha porque meu ex-marido alega que sou loka que preciso fica internada . eu só queria ter apoio mais ele nao soube me da , adorei ler essa historia, porque me da força de vontade de lutar sozinha. por mim e pela minha filha.

    ResponderExcluir
  12. É a minha primeira visita ao blog, por enquanto prefiro continuar anonima... sou mulher, tenho 22 anos, passo com psiquiatras desde os 14 anos, e aos 17 fui diagnosticada como borderline.
    Eu tenho um sintoma, algo que por mais que eu tente com todas as forças, eu não consigo lutar contra... não vi nenhum relato disso aqui... queria saber se alguem já passou por isso, e se você pode me ajudar a lutar contra ele...
    Eu sempre tive necessidade constante de estar ''vigiando'',''atormentando'' a vida de alguem, seja alguem que eu estivesse apaixonada ou alguem que eu odiasse, sempre fui completamente obcecada por vingança, mais eram coisas bobas, coisas simples, que magoavam a pessoa por um dia, um mes... mais passava. Só que tenho piorado muito. Tenho um ex marido, estamos divorciados a um ano, eu não sinto mais nada por ele e jamais voltaria com ele... mas não consigo deixar de atormenta-lo. Desde que nos separamos tive duas paixões rapidas, coisa de dois meses e enjoei (como sempre), e enquanto estava ''apaixonada'' por esses dois, eu concentrava toda minha energia em vigiar a vida deles e ter certeza de sua fidelidade... mais essas paixões passaram, não tenho mais nenhuma garota que eu odeio, então resolvi me vingar do meu ex, atormentar ele um pouquinho... a principio eram apenas ligações.. sms, coisas bobas. Mais de agosto pra cá, tenho aprendido muitaaaa coisa na faculdade e... eu consegui hackear a conta gmail dele, a que esta logada na play store do celular dele, e por ela eu vejo tudo que ele procura no google, todos os sites que ele entra, tudo que pesquisa e assiste no youtube, posso ver o local que ele esta desde que esteja conectado a internet, o local preciso, posso tbm instalar aplicativos no celular dele, e cada dia vou aprendendo a fazer algo novo, e cada vez que aprendo algo novo, me sinto com o poder de um deus, que tudo vê e tudo controla, invadi a conta dele na vivo e vejo pra todos que ele liga e manda sms... praticamente, eu consigo saber quase tudo que ele faz conectado na internet. Roubei e continuo roubando o face de muita gente, de pessoas inocentes e isso não me incomoda, eu deveria me sentir culpada por usar pessoas mais eu não me sinto, eu uso todo mundo,manipulo todo mundo, desconhecidos, colegas, amigos, familia.. tudo para eles fazerem o que eu quero, tudo pra atingir algum objetivo maluco.. mais eu sei, isso esta errado, mais eu não sei como parar! E esta piorando, estou saindo totalmente do controle, tenho medo de como isso pode acabar... alguem aqui já passou por isso? Entende o porque isso acontece? como posso parar isso?
    E tem outra coisa, as pessoas aqui não parecem ser, mais eu sou muitooo egocêntrica e narcisista.. não sempre, mais na maioria do tempo me acho a mais inteligente de todos e que ninguem é tão bom quanto eu, estou sempre certa e ninguem pode dizer ao contrario... tenho que ser a melhor em tudo sempre. E por ser assim eu acho que as outras pessoas são inferiores, se elas são burras o bastante para serem controladas por mim sem perceber, então elas merecem ser usadas como peças, e eu uso. E em raros dias me arrependo e me sinto culpada disso, mais logo passa, porque eu sempre penso em mim, sou muito ''eu eu eu'', em primeiro lugar sempre. Não sei se isso tem haver com eu atormentar pessoas, minha melhor teoria é que por eu me achar tão inteligente e superior, eu gosto de brincar com as pessoas e com as vidas dela como se eu fosse deus, ou como se elas fossem minhas peças, meus objetos, meus brinquedos. Mais como quebrar isso? Como parar? Eu não sei, e fico muito irritada por não saber. Hoje é um daqueles dias que bateu a crise de consciencia e só por isso vim pedir ajuda, qualquer um, alguem se sente assim? alguem entende? alguem sabe como lidar???
    Desde já obrigada!
    E desculpe o texto enorme, não sei escrever pouco rs.
    Até mais.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.