Amigos:

8 de abr de 2013

Um drink e uma lâmina: Transtorno de Personalidade Borderline e o abuso de substâncias como álcool e drogas.

Ontem eu falei para meu terapeuta que tudo que eu queria era "um drink e uma lâmina afiada". Como você pode imaginar, isso não acabou muito bem. Ainda assim me fez pensar: como o abuso de substâncias afetam os sintomas do transtorno de personalidade borderline?

Abuso de substâncias: um sintoma frequente do TPB.

Gatos e alcolismo: há tratamento?
Mesmo não estando sempre presente em pessoas com TPB, o abuso de substâncias é um sintoma comum. É considerado uma impulsividade em uma área potencialmente auuto-destrutiva.. Sendo drogas ilegais ou álcool, este abuso pode prejudicar o usuário de várias formas

Por exemplo, minha escolha de droga é o álcool. - cervejas importadas, para ser mais precisa. Álcool e remédios psiquiátricos não são uma boa combinação. Não só faz a medicação ter menos efeito, mas também agrava os sintomas pelos quais você está tomando estas medicação. Isso leva a mais uso, que piora o problema, que leva a mais uso... Você entendeu. Pior, o álcool por si só pode ser mortal, e os remédios evitam que você perceba que já tomou o suficiente.

O Abuso de Substâncias pode aumentar as chances de auto-mutilação

Quando você usa estas substâncias, seu julgamento fica comprometido. Como resultado, a chance de auto-flagelação e/ou suicídio aumenta consideravelmente.

Quando eu estava na faculdade, eu bebia muito. Isso raramente tinha um final feliz. Eu bebia pra acalmar a dor, aí as lembranças e auto-aversão começavam, então eu decidia que me mutilar era a única forma de controlar isso. O resultado eram várias crises que requeriam intervenção de um terapeuta. Uma vez um psicólogo questionou minha habilidade de lidar com as demandas da faculdade e me alertou que emergências psiquiátricas frequentes me forçariam a ter que me afastar dos estudos.

Um terapeuta de diagnósticos duplos (problema com saúde mental + problema de abuso de substâncias) me disse uma vez que seus pacientes cometiam mais suicídio que os de qualquer outro naquele centro comunitário. A razão era porque as substâncias usadas agravavam os sintomas da pessoa, aumentavam a impulsividade e nublavam o julgamento a tal ponto que a pessoa concluia que nunca iria melhorar. O resultado era o suicídio.

A Esperança da Sobriedade

A boa notícia é que é possível se sentir melhor. Há esperança na sobriedade.

Por mais que seja difícil desistir de uma droga, isso é vital para melhorar. Como eu disse antes, este abuso pode comprometer seu julgamento e agravar os sintomas. Remova a substância e você remove o problema. Remova o problema e se sentirá melhor, mesmo que não seja imediatamente. Eu sei que parece que você perdeu seu melhor amigo, mas isso realmente melhora os sintomas. E uma melhora vale qualquer qualquer coisa.

Há esperança para o caos. Você não tem que se sentir sempre desse jeito. O álcool/droga provavelmente está fazendo você se sentir pior. A sobriedade, porém, pode te fazer sentir-se melhor.

Tratamento psiquiátrico, especialmente com medicação, é tanto arte quanto ciência. Tem muita gente tentar adivinhar o que está acontecendo. Quando você está sóbrio, é mais fácil dizer qual remédio está causando tal reação, portanto fica mais fácil para o psiquiatra determinar o que fazer. Quando você está usando alguma substância, porém, é quase impossível dizer se as medicações estão funcionando como previsto. Como saber se este uso não é o problema?

Pode ser tentador depender de um drink e uma lâmina. Porém, isso geralmente piora o problema. Melhorar envolve trabalho duro e é diferente para cada pessoa. O abuso de substâncias não é a resposta para os sintomas do transtorno de personalidade borderline.

(tradução livre do artigo: A Stiff Drink and a Sharp Blade: BPD and Substance Abuse. A figura foi uma gracinha minha mesmo.)

Pois é. Sabe aquele ditado "faça o que eu digo mas não faça o que eu faço"? Retrato de minha vida. Madrugada passada, após algumas dúzias de um drink muito leve preparado por mim, que continha suco de manga concentrado+leite condensado+cachaça, somado a minha frustração, tive uma crise que resultou nisso aqui:

Hoje eu vou ser uma Borderline em sua plenitude. Não vou tomar os remédios. Simplesmente não vou. Qual é o ponto de tomá-los? Para ter uma crise de choro incontrolável porque vi uma foto do meu ex? Para querer me cortar novamente? Eu estou sem forças. Há mais de dois meses que estou nesta vida e dói igual. O desespero é igual. A vontade de morrer nas crises é igual. Me perguntei mil vezes hoje porque não tenho a coragem de me matar.
Se é para sofrer, tudo bem. Então vamos lá. Vamos cair. Nada deste sobe e desce infinito, não. Eu tomar ou não tomar, qual a diferença? Continuo com dor. Portanto vou ligar o modo autodestruição por um tempo e pronto. Estas mudanças é que me matam. Me cansam. Estou emocionalmente cansada de lutar contra mim mesma. Meu cérebro diz que é para ir pro fundo do poço? Já estou lá. Mas tem um porão embaixo ainda. Sem ilusões que estou escalando pra uma luz imaginária. Não. Chega. Eu já havia quase chegado neste ponto antes mas acabei exitando. Hoje não. Sem medos. Eu conheço a dor, somos amigas já. Ela eu conheço bem. A esperança eu não conheço e é ela que me deixa cansada.
Se o desespero pegar mais pesado sempre há outro braço pra cortar. Ou perna.
Tô exausta de achar que se importam comigo, to exausta de achar que há uma chance. Porque eu sei o que tenho. Consigo ver os sintomas. So what?? Tô vendo eles agora e isso não está me parando. Consigo ver a impulsividade, consigo ver a frustração por estar sozinha, claro como água. E...? Qual a diferença?
Let's check it out... Qual será a diferença? Será que o céu vai estar menos azul? Ou as coisas se movendo mais rápido? Será que eu vou ter fome?

A propósito: não tomei os remédios mesmo. O chão não se abriu nem um raio cortou o céu, porém eu sei que não foi muito bonito de minha parte. Vou tentar maneirar. Uma skol por dia pode, produção?

* Eu sei que o post tá enorme, mas eu queria falar umas coisas meio off-topic. Primeiro, estou muito feliz porque o blog alcançou mais de 2.000 visualizações em pouco mais de um mês. Juro que eu não esperava isso. Não sei realmente por que esse tanto de perdidos acabam parando aqui, mas to contente porque sei que algumas pessoas conseguiram aprender sobre o TPB por aqui e esse era um dos objetivos, com certeza.
Segundo eu queria agradecer a todos que comentam, que me apoiam, mesmo sem me conhecer. Vocês não fazem idéia de como são importantes para mim. Eu falo de vocês na terapia, eu fico feliz quando vejo um comentário, para vocês terem uma idéia eu (aloka) não ia tomar os remédios hoje de novo (sóbria) e vi dois comentários fofos no post passado e fiquei com vergonha de mim, porque já que eu escorrego em tanta coisa e vem vocês e me falam palavras de carinho mesmo aguentado meus posts depressivos diários... O mínimo que posso fazer é tentar tomar os remédios.
Se eu soubesse eu dava um selinho para todos vocês dizendo: "eu sou terapeuta da borderline girl". Mas eu não sei fazer...
Por último, quem foi observador já notou: estou tentando manter os posts assim: Um com informações sobre o TPB, outro mais sobre mim. Estou vendo que há muita gente ainda na busca por entendimento, só meu post sobre auto-mutilação teve tantos acessos que em um dia já era o segundo mais lido.

7 comentários:

  1. Olá,
    tenho a certeza que você vai deixar tudo para trás e partir para uma vida repleta de felicidade em que os seu olhos vão brilhar e encantar.
    Vocês está bem consciente que o álcool e outras substancias podem causar, motivo da minha certeza.
    Força amiga, vamos para a frente que é o caminho certo.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada! Vou tentando dar um passo de cada vez!

      Bjos!

      Excluir
  2. Olá!
    Eilan
    perfeito esse formato: uma parte "teórica" e outra vivencial.Pois, como te disse uma vez, eu entendo como deve ser difícil tentar explicar o que vc está passando.
    A sua certeza e consciência da limitação de autonomia e outros problemas mais sérios, quando associados remédios e substâncias, me faz "ir embora daqui" mais tranquilo.
    Meu carinho
    Boa semana
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... Acho importante a informação e também a combinação com o que estou vivendo. Pra completar, escrever sobre o que estou sentindo me faz muito bem!

      Tô tentando ser mais consciente. Como eu disse acima... um passo de cada vez!

      Bjo!

      Excluir
  3. porra eilan ta muito loko teu blog!!! tá proficional já ;)
    poww não sei como funciona este negocio que tu falou, mas conta comigo sim :D
    não tenho mt tempo pra fica no pc durante o dia por isso o andamento do layout ta lento.. mas vai fica 10!
    vo te manda um e-mail com meus contatos... bejãooooo "loka"

    ResponderExcluir
  4. oie baby!

    Eu colocava você como escritora aqui no borderline girl e vc podia postar aqui. Seria interessante porque a gente teria duas visões de duas borders... :)
    Isso se tu quiser, claro!
    Mas se quiser ajuda pra configurar teu blog, dá um grito!

    bjo loka
    se cuida.

    eilan

    ResponderExcluir
  5. Cara to lendo seu blog tem uns dois dias seguidos e me vi em muitas frases suas. É muito difícil desabafar assim, até pq eu não sei mto sobre a doença me diagnosticaram com tudo, o TPB foi diagnosticado só há 4 meses.Fui proibida de fuçar a net para conhecer a doença.INCRÍVEL como tudo o q vc escreve é mto parecido com o q sinto. Sempre bebi demais e não sei como estou viva até hoje! Obrigada por dividir o conhecimento e esperanças.
    bjus

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.