Amigos:

5 de mai de 2013

It Girl



"It girl" é um termo utilizado para se referir a mulheres, geralmente muito jovens, que, mesmo sem querer, criam tendências, despertam o interesse das pessoas em relação ao seu modo de vestir, de andar, pensar ou ser. As "it girls" têm via de regra o que muitos chamam de "carisma", algo que atrai a atenção para elas. Sua característica mais determinante é serem incomuns, destacarem-se das pessoas comuns e provocar interesse, a ponto de outras pessoas passarem a copiar seu jeito de vestir, falar e/ou agir. Normalmente as "it girls" comportam-se de maneira irreverente e despertam a curiosidade das pessoas sobre o seu modo de vida.
(Wikipedia)

Descobri que sou uma It Girl. Não, não é porque todos admiram meu jeito fashion, meu carisma inigualável e meu fascinante modo de pensar. É porque tenho um transtorno.

Virou moda ter um problema psicológico. É cult se dizer sofrida, espancada pela vida, cheia de cicatrizes na alma. Falando nelas, foi quando me deu o insight de escrever este texto. Numa conversa com uma amiga, ela me contou que numa fan page de borderline no facebook, a menina perguntou pra ela como era o melhor jeito de se cortar.
Oi?

Como assim alguém acha bonito se cortar? Como se fosse algo que podemos estar gritando aos quatro ventos, como uma qualidade a qual ninguém pode se igualar, um prêmio, uma dádiva. Acho que o mundo está mais doente do que eu.

Mas acho que tenho que colocar a bipolaridade no meu diagnóstico, pois mais cult que ser borderline é ser bipolar. Culpa da Britney Spears e seu guarda-chuva ameaçador. Ou da Amy Winehouse. Toda adolescente que se preza, com sua maquiagem carregada, roupa preta brilhando ao sol e olhar sofredor tem que ser bipolar. Tem que ter uma fase de odiar o mundo, porque tenho um transtorno horrível que me faz "feliz" um dia e "triste" em outro. Faz ter um status.

Faça-me o favor. Achar bonito sentir um vazio que a gente não sabe de onde vem, pegar uma lâmina e rasgar a pele, entrar em depressão por dias, meses, sem esperança de ver uma tênue luz ao fim do túnel (eu nem túnel to vendo mais), sentir seu mundo se abrindo aos seus pés porque um cara terminou com você não pode ser achado legal.
Mas é. Ser feliz é last season.

Então criamos um exércitos de mentes sãs procurando insanidade onde não tem. Que admiram a escuridão (talvez seja uma relação com os meigos vampiros da Stephenie Meyer) ao invés da luz. Que querem se espelhar em pessoas com verdadeira dor na alma ao seguir exemplos de superação. 

Já que é cool ser sofrido, pode me colocar aí num topo de algum ranking. Afinal, além de tudo tenho um blog. Melhor do que isso seria se eu postasse vídeos contando minha trajetória e... Ops. Quero fazer isso também.
Que esta loucura do mundo acabe logo, que surja uma nova moda, bolinhas de gude na orelha, sapatilha laranja ao contrário, viajantes do tempo que acabam na terra da magia, eu não sei. Qualquer coisa. 

Afinal de contas, se ser It Girl é isso...Obrigada mas, não obrigada.

* Gente, a campanha continua. Por favor ajudem o Ringo...


12 comentários:

  1. Vim conhecer seu blog através do blog De dentro pra fora. É muito esclarecedor, muito bacana mesmo. Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Eilan
    Boa tarde
    ...não sei se é "cult" , modismos...mas,é que somos frágeis seres humanos, imperfeitos e solitários. Assusta-nos quando nos damos conta de nossa solidão. Sentimos que temos que nos agarrar em alguma coisa, ser apenas mais uma pessoa na sala de jantar que rasga a vida pela janela e deixar que a loucura escorra pelas veias apenas em momentos convenientes...masssss
    ainda prefiro aqueles que sejam , mas por inteiro.
    Obrigado pela visita
    Boa semana
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é como eu falei... o mundo está tão insano que as pessoas estão querendo se agarrar a loucura para pertencer a algum lugar...

      Excluir
  3. Oi Eilan, nao que eu ache bom o sofrimento, de certa forma o considero atraente... poetico. Mas é claro que se pudessemos escolher, escolheriamos a luz, os sorrisos, a leveza e o bem estar. Ás vezes escplher esta longe do nosso alcance. Mas viver o sofrimento amadurece.

    Sobre seu comentario la no blog, o que quer que tenha acontecido estou com vc, stay strong
    Bjs
    Fabi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também vejo algo de lúdico no sofrimento, mas com certeza nós se pudéssemos, escolheríamos não ser assim.

      bjo!

      Excluir
  4. Olá.
    Conheci seu blog meio que ao acaso e gostei do jeito que escreve.
    Bom vou falar do seu texto.
    De fato é MODA vc ser bipolar ou ter boderline ou o que mais surgir aí...a juventude quer chamar a atenção..as garotinhas acham que pagando pau de revoltada, sofrida e etc vão fazer elas serem populares diferente das garotas que elas chamam de populares.
    Conheço guria que banca a "gotiquinha" só para chamar a atenção. E pior que isso deturpa a cena gótica e alternativa como um todo (lembro da época que frequentava rolês e o tanto de trevosidade que viámos).
    Ai vem gente pedindo melhor jeito de se cortar? Bom eu poderia dar algo melhor pra ela: uma pilha de louça pra lavar, umas cintadas na bunda para aprender a ser gente...ou se a guriazinha quer pagar pau de sofridinha para chamar a atenção e ganhar notoridade na web (sim porque fora dela não passam de meninas dizendo que sofrem bullyng - outra coisa que também está na moda)nada que umas boas horas em um certo tipo de van não a consertem.
    O problema e que atitude de guriazinhas assim acaba prejudicando quem realmente tem um distúrbio de bipolaridade ou síndrome de boderline (ou demais problemas psicológicos)pois a sociedade acaba vendo como uma palhaçada. É que nem as gurias retardadas que se cortam em prol do Justin Bieber. Foi-se o tempo que sofrimento seria visto como algo poético....quem defende isso acha que foi linda a vida de Byron ou Poe sendo que eles detestavam essa vida que tinham (principalmente o Poe, que morreu na sarjeta e só foi reconhecido décadas depois de sua morte).
    Não sei o que você passou mas pelo seu post pude ter absoluta certeza que vc não é uma dessas pessoas aliadas á moda do sofrimento o/
    Continue assim com o blog!
    Estou te seguindo já, gostaria de trocar idéias contigo!
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahaha eu esqueci de citar o bullying como modinha também e, claro, como justificativa para fazer qualquer coisa: "como demais porque sofri bullying", "levei uma faca para a escola porque sofri bullying" e por aí vai.

      adorei seu ponto de vista sobre o assunto, baby. Volte sempre porque será bem vinda :)

      bjo

      Excluir
  5. a tristeza pode ser um sentimento poético, inspirador para vários tipos de arte. a depressão e os transtornos mentais não têm nenhum glamour. a loucura é a doença do sofrimento psíquico. os leigos confundem depressão com tristeza. um bom médico jamais confundirá, e se essas pessoas forem ao médico, serão devidamente diagnosticadas. e essa "glamourização" geralmente é feita por adolescentes muito novos. passa quando tem que passar. vira transtorno se tiver que virar. de todo modo, é importante ficar atento. existe uma forma de body art chamada scarification, você conhece?

    agora, uma dica: você não é uma it girl. ao se autodenominar assim, vc está incentivando esse comportamento e a glamourização da doença mental.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      eu concordo que os modismos passam, mas os valores passados é que estão deturpados e fazendo com que meninas e meninos achem que precisam parecer loucos para ganhar atenção.
      Fora o perigo real da auto-mutilação, que vc como border, deve entender bem.

      Quanto a me autodenominar It Girl, acho que você não pegou a ironia do texto. Não acho que sou uma, na verdade acho um absurdo alguém achar bonito e copiar alguém que tenha um transtorno.

      Bem vindo ao blog!

      bjo!

      Excluir
  6. Oi querida
    Acho que vc está melhorando com a escrita a cada dia! Infelizmente está "na moda" ser bipolar mesmo, não sabia que boderline também. Os famosos se drogam e falam que são bipolares. Faça-me o favor! Concordo plenamente contigo!
    Bjos. e #tamo junto!
    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelos elogios, querida.

      É, resolvi citar a bipolaridade pq sei que ninguém sabe direito como esse transtorno é na realidade, mas todo mundo diz que tem.

      bjo!

      Excluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.