Amigos:

23 de mai de 2013

O Real, O Imaginário e A Mente Maltratada




O que fazer quando não conseguimos distinguir o real do imaginário? Quando simplesmente confundimos a vida real com um mero sonho ou vice-versa? Entrar em desespero? Pegar a lâmina mais próxima e se cortar loucamente? Beber, fumar e se drogar até desmaiar? É o que tenho mais feito ultimamente. 
Minha mente foi amaldiçoada pelo tempo, tempo manchado de cólera e dissabores. Não tenho mais forças espirituais para definir o que é real ou não. Simplesmente sobrevivo, viver está deveras penoso. E o que fazer então? Tomar um chá com biscoitos e esperar essa estranha e indesejável sensação passar? Escutar música para preencher um vazio maluco que nunca se vai? Assistir um filme? Escrever? Não. Definitivamente nada disso dá certo. A vida não pede calma, pede soluções rápidas e que realmente deem paz a alma daqueles que sofrem. 
Muitos são os que passam pelo mesmo, principalmente em surtos de despersonalização/desrealização. O que difere é como cada enfrenta a situação. Eu por exemplo morro em vida, sou quase um zumbi. O sofrimento que me acomete certamente é diferente do sofrimento alheio. E o que faço? Bebo, fumo, me corto loucamente. Só assim me sinto menos morta. Eu gostaria que houvesse outros métodos, mas a calmaria não me faz bem. 
Acho que vivo em um grande sonho, um sonho ruim e bizarro, com pessoas mais bizarras ainda e tenho medo de cometer alguma besteira. Será que a loucura invadiu minhas veias? Será que tenho salvação? Minha mente está maltratada demais para encontrar respostas. 

6 comentários:

  1. Ow baby... Uma hora isso tem que passar.

    bjo

    ResponderExcluir
  2. Só quem sente e passa por isso sabe, eu acho que nunca vai passar. Só espero aprende a lidar com isso o melhor possível, e deixar algo de valor para o mundo em troca de toda dor que recebi, quero evoluir antes do fim....

    ResponderExcluir
  3. Você diz que escrever não te ajuda, pois é o que comigo funciona melhor. Coloco para fora tudo o que sinto e penso e só escrevo, escrevo, escrevo... No fim estou tão vazia e leve como nunca.

    Caramelo de Limão

    ResponderExcluir
  4. Já estive assim como você. Se cortar é mais fácil... é mais comodo... e alivia. Mas se cortar também dói, te fere, deixa marcas e te põe pra baixo. O dificil é encarar a dor de cara limpa e pulsos intactos. Sobreviver é muito ruim... sei bem como é.
    Stay Strong querida, continue forte.

    ResponderExcluir
  5. não imagino tua dor. minha pior depressão foi considerada moderada e com remédios vou levando. não sei o que dizer a não ser que a vida não é fácil e alguns foram marcados pela dor ao nascer e terão que carregar a dor como uma mochila. sei lá, convive com ela, se não dá pra eliminar, aprender a conviver com. desculpe se disse alguma bobagem, espero de coração que vc fique melhor dentro do possível. bjs

    http://eubipolarbuscandoapaz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. dor continua até ao dia que vai desaparecer, está próximo, com a sua força é inevitável, vai conseguir.

    ag

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.