Amigos:

9 de mai de 2013

Transtorno de Personalidade Borderline e a Raiva Inadequada.



Critérios para o diagnóstico do Transtorno de Personalidade Borderline: o indivíduo precisa ter pelo menos 5 dos seguintes sintomas:

(1) esforços frenéticos para evitar um abandono real ou imaginado.
Nota: Não incluir comportamento suicida ou automutilante, coberto no Critério 5
(2) um padrão de relacionamentos interpessoais instáveis e intensos, caracterizado pela alternância entre extremos de idealização e desvalorização
(3) perturbação da identidade: instabilidade acentuada e resistente da auto-imagem ou do sentimento de self
(4) impulsividade em pelo menos duas áreas potencialmente prejudiciais à própria pessoa (por ex., gastos financeiros, sexo, abuso de substâncias, direção imprudente, comer compulsivamente).
Nota: Não incluir comportamento suicida ou automutilante, coberto no Critério 5
(5) recorrência de comportamento, gestos ou ameaças suicidas ou de comportamento automutilante
(6) instabilidade afetiva devido a uma acentuada reatividade do humor (por ex., episódios de intensa disforia, irritabilidade ou ansiedade geralmente durando algumas horas e apenas raramente mais de alguns dias)
(7) sentimentos crônicos de vazio
(8) raiva inadequada e intensa ou dificuldade em controlar a raiva (por ex., demonstrações freqüentes de irritação, raiva constante, lutas corporais recorrentes)
(9) ideação paranóide transitória e relacionada ao estresse ou severos sintomas dissociativos

Como comentei neste post aqui, vou começar a comentar um pouco sobre cada sintoma do Borderline. Comecei com o número 9, hoje falarei sobre o número 8.

 - Raiva inadequada e intensa ou dificuldade em controlar a raiva (por ex., demonstrações freqüentes de irritação, raiva constante, lutas corporais recorrentes)

Geralmente a fúria Borderline é intensa, imprevisível e sem causa lógica. É como uma enchente torrencial, um terremoto repentino ou um raio num dia de sol. E pode desaparecer tão rápido quanto apareceu.

Porém, alguns borders tem o problema oposto: se sentem incapazes de expressar sua raiva de forma alguma. No seu trabalho, Marsha M. Linehan (1993) dita que os indivíduos com TPB que não mostram sua raiva "temem que vão perder o controle se expressarem a mais leve irritação, e em outras vezes tem medo que o alvo da menor expressão de raiva pode retaliar."

Jane G. Dresser, que é especialista em TPB, nos disse em uma entrevista que acredita que borders sentem tudo intensamente, não só a raiva. Ela teoriza que esta emoção foi ressaltada no critério do DSM (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders ou Manual Diagnóstico e Estatístico de Desordens Mentais) porque a raiva é tipicamente o sentimento que causa o maior problema para as pessoas que estão perto de indivíduos com o TPB. Linehan repete esta crença, muitas vezes afirmando que os borders são como pessoas com queimaduras de terceiro grau por 90% do seu corpo. Faltando esta pele emocional, eles sentem uma agonia ao mais leve toque ou movimento.

Jeremy (Border)

"Quando eu não posso controlar me ambiente, eu fico nervoso e com raiva. Fica muito pior quando estou sob stress. Quando desencadeado, posso ir da mais perfeita calma para uma fúria extrema em uma fração de segundos. Eu acho que meu temperamente vem do abuso que sofri quando era criança. Em algum momento, decidi que eu não tinha mais que aguentar o abuso dos meus pais. Reações de fúria se tornaram uma questão de sobrevivência."

(tradução livre de trecho do livro Stop Walking on Egg Shells - PAUL T. MASON, MS, RANDI KREGER)

- Minha experiência com a raiva borderline não chega a ser como a citada neste texto. Bem, pelo menos eu acho. Eu tenho muitas oscilações, o que francamente é muito cansativo. Acordo feliz, duas horas depois to triste, de tarde melancólica e de noite doendo tanto por dentro que me corto. Basicamente isso é uma rotina comum.

Tive já reações extremas principalmente em brigas. Quebrei celulares (meu e de namorados), já joguei video game no chão, quebrei meus óculos e, a mais incômoda de todas, partia para a violência. Dos 4 namorados que tive na vida, somente em um eu não bati. E não era simplesmente um tapa na cara não, era partir pra cima com socos, empurrões... Me lembro de ter arranhado (minhas unhas estavam enormes) um namorado meu enquanto ele ainda estava dirigindo, fiz um corte e ele quase bateu o carro. Com meu ex-noivo eu batia na cara dele e ainda gritava pra ele bater de volta se fosse homem. Uma vez só ele o fez, em nossa última discussão e foi muito bem merecido. Neste meu ex que comento mais eu ia para a violência também. Sentia-me tão frustrada com as coisas que ele me dizia que queria atingi-lo de qualquer forma, nem que fosse fisicamente. Era horrível e não me orgulho nada disso. Pelo menos foi  somente no primeiro ano de namoro, depois de muitas discussões eu consegui me controlar, não por ele, mas por mim. Mas continuava a quebrar as coisas de qualquer forma.

Isso sempre me deu vergonha. Achava que simplesmente fazia parte do meu temperamento e que eu era uma descontrolada. Uma pessoa que grita atrás do namorado na rua, que empurra, que agride fisicamente, não pode ser normal. Muitas vezes, com este ex que vou começar a chamar de C. mesmo depois de para com as agressões físicas eu tinha que me controlar muito, fechava os pulsos, respirava muito, tudo isso pra não usar de violência. O pior é que mesmo muito tempo depois que eu havia parado com isso (e estava orgulhosa deste feito) em muitas brigas ele me passava na cara o que eu tinha feito no passado. Aí eu ficava possessa, porque só pensava que eu podia mudar o quanto quisesse, sempre pagaria pelos meus erros do passado.

Não posso dizer que isso acabou porque não me deparei com nenhuma situação em que pudesse mesmo perder o controle. Fico sim irritada muito facilmente com qualquer besteira e são necessários alguns cigarros para me fazer ficar calma. Essa semana mesmo fiquei bem nervosa só porque eu estava traduzindo uma coisa pro meu pai e a pessoa que deveria me mandar o arquivo em português me mandou o arquivo errado. Fui dormir pensando nisso.

Bem, isso é outra coisa que eu queria um dia adquirir: controle.

** Gente, pedido especial: Quem puder rezar, mandar energias positivas para meu pai, que está internado por causa de uma pneumonia. Fico preocupada pois ele mora longe da gente. Está consciente, falando comigo e tudo, mas é sempre angustiante, né?

** Por favor, tô tendo tantas visualizações... Comprem a rifa do Ringo, R$ 5,00 é tão pouquinho... Mais detalhes AQUI.

8 comentários:

  1. Menina que saudade de você,
    mas o fato é que sei que preciso estar bem para vir lê-la
    e ouvi-la.
    Estive sofrendo por abandono e precisava ultrapassar
    uma barreira que era de correr
    atras de quem amo e pela primeira vez em muito tempo
    consegui esperar que viessem a mim.
    Foram dias de muito autocontrole, pois é tão simples
    discar um numero ou mandar um emaião que poe todo respeito a perder.
    Dessa vez fui a meu favor e aguardou e deu certo!
    Então vir aqui com o coração apertado não seria uma boa ideia.
    mas vou ler tudo que pedi.
    Sei que esteve nos meus blogs mesmo não comentando.
    Bela sexta-feira e que tenhamos a certeza de que viver vale à pena.
    Frase pra fechar a semana bemmm:
    "As vezes ouço passar o vento;
    e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido."
    Fernando Pessoa

    Bjins
    Catiaho Alc./Reflexo d'Alma

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Eilan
    sim...gosto de postagens com sessão de testemunhos de várias pessoas,para mostrar as infinitas realidades longe dos livros teóricos.Vários relatos fortes e intensos. Penso até ver só o fato de admitirem a doença, participarem deste nível de discussão, ajudando a outros, significa que estão tentando superar os problemas.Essa semana irei ( minha irmã, pois estou viajando) fazer o depósito da rifa.Xá comigo!
    Obrigado pelo carinho das palavras em meu blog
    Boa sexta feira
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi querida
    Por isso o transtorno bipolar é bem semelhante ao boderline, os médicos até confundem o diagnóstico as vezes, para os bipolares isso que vc descreveu é chamado de mania. Espero que seu pai melhore logo!
    Sei que vc sempre me prestigia, e não o faz por obrigação, mas porque gosta de mim, mas quero te fazer um convite especial, pois tem um mimo especial para vc no último post. Espero que goste e levante o seu astral!
    Bjos.
    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Quem na presença constante me ensinou
    na pureza do seu coração a vislumbrar
    caminhos…
    Dos primeiros passos, das primeiras
    palavras…
    Do amor sem dimensão, de cada momento,
    dos atos de cada capítulo de minha vida
    não ensaiados, mas vividos em cada
    emoção.
    Da conversa no quintal, do acalanto do
    meu sono aquecido de amor, aninhada
    em seu coração…
    MÃE …
    do abraço, do beijo que levo na
    lembrança…
    é você que me inspira a caminhar…
    A presença de cada passo que o
    tempo não apaga: por mais longo
    e escuro que seja o caminho, haverá
    sempre um horizonte…
    Mãe mulher a quem devemos a vida,
    que merece o nosso respeito,
    nossa gratidão e nosso afeto.
    Nessa mensagem com todo sentimento
    de uma filha , que chora saudades eternas
    de você mãe.
    È merecido um Dia para homenagear
    todas as mães do mundo.
    Com carinho e saudades deixo aqui meu abraço
    de amiga ,filha ,mãe e meu primeiro ano
    do dia das mães (Bisavó).
    Na postagem tem mimos caso gostar fique
    a vontade para levar foi feito com muito carinho.
    Um feliz final de semana.
    Um Feliz Dia Das Mães.
    Carinhosamente,Evanir.

    ResponderExcluir
  5. Eilan,

    Estou aprendendo um pouco por aqui, adoro ler sobre comportamento humano. Alias, lido com pessoas diferentes o tempo todo.

    Beijos e bom final de semana.

    ResponderExcluir
  6. conheço esse tipo de descontrole. Mas eu queria saber: TEm cura? Como proceder?

    ResponderExcluir
  7. Oi Eilan, queria saber te dizer alguma coisa pra ajudar mas a verdade é que com relação a esse transtorno o pouco que sei é do que tenho lido aqui mesmo. Meu desejo é que fique bem, que fique bem de verdade. Não sei se o contar ate dez ajudaria... mas com relação a autocontrole sei o quanto é desafiador.Que Deus abençoe seu pai e que dê tudo certo.

    Bjus
    bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  8. Edite,

    Bem, sobre a pergunta, sempre é interessante procurar um profissional, para dar qualquer diagnóstico. Se tem cura ou não, depende do que a pessoa tenha mas, por experiencia sei que terapia e medicação ajudam muito a qualquer transtorno!

    Qualquer coisa me mande um email: borderlineggirl@gmail.com

    beijos.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.