Amigos:

21 de jun de 2013

Eu sou o baby, você tem que me amar!


Perdi as contas de quantas vezes que me descontrolei e/ou me humilhei para não ficar só. Isso acontece nas amizades, mas muito mais potencializado nos romances.
Cá estou eu, em um período de quatro meses com duas decepções amorosas. Um italiano e um turco, que eu nunca conheci. Parece loucura, mas não é.

Começo de fevereiro, Marco, um italiano abobado de 23 anos, sem nada de especial, exceto minha imensa carência que acabou transformando esse “esporco” em um anjo iluminado. Pelo qual dediquei diversas cartas e poemas apaixonados (dos quais ele sequer deu algum valor). E eu jurava (mais uma vez) que ele era meu grande amor. Depois de muito me humilhar e ser rejeitada, comecei aos poucos “clarear” minhas idéias e ver o que realmente estava acontecendo. Não demorou muito para eu levantar no meio da noite meio louca, cheia de raiva e razão, apagar todas as fotos dele e músicas melosas italianas do meu PC, rasgar as que eu tinha revelado (sim eu fiz isso). No outro dia lá estava eu livre, leve e solta. Satisfeita por ter expulsado o italiano fanfarrão da minha vida.

Quatro dias depois, dia dos namorados (este último), sempre tive uma identificação maluca com os povos mediterrâneos, suas danças e músicas tão lindas. Quando criança eu dizia ser a Princesa Jasmine e sonhava em um dia voar com meu Aladim em cima de um tapete mágico. Isso tudo somado ao dia dos namorados me fez pensar, e se eu adicionasse um turco, tipo assim, só pra conversar saber mais da cultura, que mal poderia ter nisso... Não sei como nem onde, me deparei com um turco gato, 25 anos, meu número (ai ai) fiz o quê?! Adicionei, na hora! E ele me aceitou. Assim começou minha segunda decepção do ano.

O que foi mais assustador é que ele foi a exata descrição minha de como eu agia com o italiano, cheia de amor, poemas, declarações. Chegou inclusive me marcar em publicações do Facebook dele com clipes românticos e o escambau, respondia meus comentários sempre com muito mel. Nós sempre conversávamos em inglês, um belo dia para agradar resolvi deixar um comentário em uma foto em turco “Kalbim” (“amor”), não demorou muito para outras pessoas comentarem a foto (inclusive o irmão dele), ele curtiu todos os comentários que já não eram pela foto e sim pela “shilique estrangeira” que vos fala. Hahahahahaha. Lá ficaram os comentários por dois dias, quando ontem, de repente, eles sumiram como por encanto de um gênio da lâmpada. E eu OBVIO fui confrontá-lo, ele disse que não sabia o que tinha acontecido (sei, sei). Entre uma conversa e outra ele disse: “eu te amo” e eu respondi: “prove”. Então ele me enviou uma solicitação de relacionamento sério, e eu toda boba na hora aceitei publicamente dando a cara pra bater assumindo um romance com um turco que ninguém sabia de onde saio. Quando eu fui boba deixar um recado apaixonado no perfil do Facebook dele descobri que o bonito não tinha deixado o status publico, e sim só para eu visualizar.

FÚRIA! Eu fiquei com tanta raiva, exclui tudo na hora. Fui até ele pedir uma explicação, depois de eu muito discutir ele me pediu desculpas, inclusive perante os amigos dele na webcam. Então ele me contou o porque ele fez isso: “Você não tem noção de como as coisas funcionam aqui, eu não estava preparado para assumir publicamente um relacionamento e suportar a pressão e perguntas da minha família, fiquei com medo de te magoar, por isso não falei. Desculpe mas as coisas aqui são diferentes, você acha que eu posso fazer uma tatuagem ou um piercing e tudo bem, não eu não posso. Tente entender”.

Ok, ok ele não foi de todo cafajeste, apenas covarde como diria minha amiga Eilan. Mas para um homem que ia me pagar uma passagem para turkia e me receber na casa da família dele, conhecer tudo e todos, o mínimo que eu esperava era ser alertada sobre a possibilidade de eu não ser tão bem recebida ou melhor dizendo ser enxotada porta a fora em uma língua que eu nem ia entender do que estavam me chamando. E que ao invés de ter um homem que iria ficar ao meu lado e me defender eu ia ter apenas um cara que ia fazer uma carinha de “chatiado” e me dizer um “foi mal, adeus”. Ninguém merece!


Bem gente, contei essas duas histórias que me ocorreram este ano, das diversas que tenho, para ilustrar o quanto nos metemos em frias e nos envolvemos sempre nos típicos amores impossíveis, pois precisamos acreditar que há uma história de amor nos esperando. E mesmo para quem está em um relacionamento acabado, sempre tentamos por medo de ficar sozinhos. 

É a solidão me assusta e muito. Não aceito ela e conseqüentemente nem a mim mesma. Enquanto tantas pessoas seguras de si acordam todas as manhãs e se olham no espelho dizendo: ”Eu me basto!”. Nós por outro lado, fechamos os olhos e pensamos: “Quando eu tiver um amor ao meu lado ele me bastará!”.

6 comentários:

  1. Saudades desse blog! ;)
    Sempre tudo bem organizado, e bem elaborado..é verdade, chega uma hora que cansa correr atrás das pessoas...principalmente quando o outro não dá retorno ainda mais no amor. Na amizade eu não vejo que tenha que se humilhar, mas pedir desculpas e esperar o tempo do outro...beijos e não se esqueça de mim *__*

    ResponderExcluir
  2. Você tem uma atitude extremamente possessiva e psicotica em relação a relacionamçentos irreais. Já trabalhou isso na terapia?

    ResponderExcluir
  3. olá. rastejar pelo amor de outra pessoa só nos diminuiu.. não me humilho mais desse jeito.. muito belo o que escreveu.. bjs lindo dia
    lapidandoversos@blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olá, gostei de ler o seu texto, pareceu uma resposta ao meu último post rsrs . Mas é incrível a nossa capacidade de nos metermos em frias e dramas quando o assunto é romance. Incrível também como um amor impossível nos atrai tanto, não é mesmo? Bom... mas depois da minha ultima experiencia estou me resguardando e talvez eu não me baste mas por enquanto vai ser assim, ao menos até eu me curar por inteira se é que isso é possível .

    Bjus
    e boa sorte nos romances :)

    ResponderExcluir
  5. Oi Miss Danielle
    Eu penso que esse tipo de relacionamento a distância é complicado mesmo! Relacionamentos já são complicados kkkkkkk.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  6. PARA ANÔNIMO:::
    Não querida, eu nunca pensei nisso... Obrigado por ter dado-me esta luz divina!!! Afinal este blog trata-se de pessoas altamente saudáveis psicologicamente. néh.
    BJO flor

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.