Amigos:

18 de jul de 2013

Desabafo



‘Em sua mente, em suas veias, eu nado perdida e delirada.’


É com essa dor que me invade sem qualquer permissão, que eu me sinto segura. 
Ela não para, não cessa, me castiga até minha carne não aguentar mais. Não é o tempo, não são as pessoas, não são os remédios. O problema está em mim. O maldito problema está impregnado na minha alma. 
Estou cada vez mais presa em um mundo de escuridão e maldade que não sei como sair, como ir embora daqui.
Que gosto pelo tédio, vazio sem fim, me aflige hoje (e o meu hoje é o meu sempre). Não quero saber de mais nada, apenas a inércia me convêm. É difícil ficar parada, é complicado me movimentar, o que posso fazer contra meu coração? 
Sempre a mesma rotina, a mesma batida, a mesma canção colada no ouvido. Mesmo quando quero trocar a dor interna por algo que eu possa sentir (vermelho é sua cor), preciso de um estímulo maior do que eu possa acreditar. 

Eu quero mudar. Quero parar de beber, parar de fumar, parar de me drogar, quero parar com tudo isso que só me leva mais ainda para o fundo do poço. Mas e minhas forças pra fazer tudo isso? Onde estão? Não posso sozinha, preciso de ajuda urgente, mas ninguém me vê, ninguém me lê, ninguém me quer. É mais fácil jogar tudo p’ro alto e ver no que dá essa merda toda. 
E se eu estiver enlouquecendo? Se eu não conseguir mais definir o real do imaginário? Eu tenho medo, mas não posso transparecê-lo. Preciso parecer forte para que as pessoas não tenham receio de mim.
É com essa dor, essa pálida tristeza, que vou sobrevivendo a cada dia. Um dia após o outro, uma tortura diferente.


                             
Deixa Eu Dizer - Ivan Lins

Deixa, deixa, deixa
Eu dizer o que penso dessa vida
Preciso demais desabafar
Suportei meu sofrimento 
De face mostrada, riso inteiro 
Hoje canto o meu lamento 
Coração cantou primeiro 
Você não tem direito 
De calar a minha boca 
Afinal me dói no peito 
Uma dor que não é pouca 
Tenha dó


P.S.: Desculpem-me pelo texto “torto” que escrevi, não sou muito boa em desabafar.
P.S.²: Espero que minha volta não seja em vão (no fundo eu sei que não será).

3 comentários:

  1. Quando o problema esta na gente, só a gente pode resolver. Acho que to meio bêbada... volto amanha quando estiver melhor, o dia foi dificil. Que bom que voltou a postar, no fim vai dar td certo, assim acreditamos.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Odeio quando me sinto assim e estou me sentindo assim como vc e não sei o que fazer. É um desespero, angustia, medo de enlouquecer, a solidão, ter que continuar "vivendo" mesmo vc estando morta por dentro é horrível. Não sei para vc, mas escrever pra mim é bom alivia.
    bjos

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho todos os sintomas do Border. To fazendo terapia psicológica agora, mas eu percebi que preciso de ajuda de medicamentos. Tenho tido crises de raiva cada vez mais seguidas, ando completamente fora do controle. Mas tenho medo de chegar no psiquiatra e falar da minha desconfiança sobre o borderline, ao mesmo tempo eu também não quero tomar medicação em vão. Fui tratada como se tivesse síndrome do pânico uma vez, mas eu sei que não é isso que eu tenho ,

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.