Amigos:

9 de ago de 2013

Dissociação





(post da minha colaboradora Perséfone!)

É bem difícil explicar esse sintoma, os que já tiveram devem entender melhor, mas pelo que pesquisei a experiência é bem de cada um.

Nós borders somos bem seletivos, eu sou o cúmulo da seletividade então escolho até memórias. Existem lapsos de memória meus que tem duração de meses, o maior foi de um ano. Onde estive durante esse tempo? Dissociada. A verdade é que sempre há algo que me incomoda tant na realidade que eu resolvo tirar "férias" de mim. Não é bem resolver por que não tem um processo pelo qual você consiga "ir".

Eu não bebo nem uso drogas, pelo menos as não prescritas, mas sou viciada em leitura. Quando a realidade começa a ficar sufocante eu começo a ler mais. Em doze dias li quinze livros. E eu comecei a viver os livros aquelas "realidades ficcionais" (bom paradoxo), se tornaram mais reais do que a minha realidade, de acordo com as pessoas a minha volta eu ficava lendo e dormindo, comia lendo e nem queria tomar banho. Dormia exausta, às vezes com enxaqueca vomitando, ler sem parar tem esse inconveniente. Eu não lembro ao certo o que aconteceu. Quando você tem uma convulsão, você se bate toda é capaz de arrancar a própria língua, as pessoas tem que te segurar e impedir você de serrar os dentes, quando passa você não lembra de nada, mas as pessoas ao seu redor estão chocadas e com medo de você, você vê os hematomas mas não sabe direito porque todos estão agindo como se você fosse quebrar, certo? Bem, a dissociação é assim. 

Assustador, mas o que estou tentando aprender é a não precisar "adoecer" para sair de uma realidade sufocante. Se nós formos sinceros conosco e com os outros, dizer que aquela atitude te machuca, que você não suporta, é melhor do que "fugir". Muito difícil fazer isso, as outras pessoas não entendem o porquê de eu não suportar coisas tão normais. Mas eu não suporto e pronto. Ajuda se entender e se aceitar, pra isso é necessária a terapia.

.............................

Gente, vou fazer uma série de podcasts com algumas dicas para a gente ficar melhor, dicas que eu recebo de uma lista de e-mail baseada na Dialética Comportamental. São curtinhos e espero que sejam úteis!!

como se acalmar usando a música!
.............................



Com mais de 500 mil exemplares vendidos somente nos EUA, "Pare de pisar em ovos" lida com um tema marcante nos dias atuais: o transtorno de personalidade borderline (TPB). Este livro busca entender este transtorno destrutivo, estabelecer limites e incentivar amigos ou familiares com o transtorno a deixar de lado comportamentos perigosos. Ele discute as últimas pesquisas sobre um problema caracterizado pelo limite das emoções e apresenta técnicas de comunicação e estratégias de enfrentamento para que o leitor possa equilibrar seu relacionamento com um borderline.

O Blog Borderline-Girl está sorteando, em parceria com a Editora Fontanar, dois exemplares deste livro. Para concorrer basta seguir estes passos:

- Curtir a página da Editora Fontanar e o Vivendo a Vida com Borderline

Vivendo a Vida com Borderline
Editora Fontanar

- Ser seguidor do blog Borderline-Girl
- Preencher e enviar o formulário na página SORTEIO.


O sorteio acontecerá dia 20/08!

5 comentários:

  1. fiz tudo só não consigo preencher a tal ficha pq diz lá que não tem sorteios mais...???

    ResponderExcluir
  2. Eu sou tão seletiva q vivo só... encontro defeitos inaceitáveis em td mundo e me afasto... enquanto vc lê eu vejo novela, um hábito q nada de bom me acrescenta, e de acordo c minha religião é estar em pecado, pois bem...tô levando minha vida assim... sem sentido nenhum, apenas vendo o tempo passar, vendo a vida de td mundo se ajeitar e a minha estacionada, sou border...

    ResponderExcluir
  3. Sei bem do que vc está dizendo. Esse vício na leitura eu também tive. Quando engravidei aos 19 anos sem a menor vontade de ser mãe eu não queria pensar no assunto e li todos os livros que existia na minha casa (cerca de 50) em apenas um mês, só pra não pensar no assunto. Mas ainda bem que aprendi cedo a dizer o que não gosto e não aceito (cada coisa que para os outros era um absurdo) e cedo também fiz muitas inimizades, até dentro de casa, porque as pessoas não te entendem e também não aceitam suas "excentricidades". Sofri muito nesta vida, mas já sai da posição de vitima e tomei as rédeas da minha vida. E vivo como dá, sem reclamar mais.

    ResponderExcluir
  4. Eilan, amei o post.Cada pessoa tem seus limites, e ninguém vai entender mesmo.
    Li seu post anterior que falava do programa da Sonia Abrão. É lamentável que pessoas que podem ser formadoras de opinião,passarem uma informação incorreta dessa maneira.
    Se foi realmente o garoto, ele não teve um ataque de fúria, um descontrole. E tb ninguém vai poder fazer ele reviver para fazer um diagnóstico. Além de protestar por e-mail, tem que se fazer um boicote para esse programa.
    Eu tive problemas para fazer o login no meu blog e como não consegui encontrá-lo,criei um blog no WordPress:
    pontocruzdachris.wordpress.com.
    Eu desfiz o meu perfil do facebook, fui eu mesma..rsrs.. É muito chato ter gente controlando os passos da gente, á distância. Me rebelei!
    Te desejo uma ótima semana. Vou estar sempre por aqui.
    Um super bj

    ResponderExcluir
  5. tenho MUITAS dissociações. muitas mesmo. nunca lembro de nada depois, mas elas não costumam durar muito, no máximo algumas horas.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.