Amigos:

19 de set de 2013

Eu ainda serei criativo se começar o tratamento para o TPB?




Artistas, escritores, músicos e atores são conhecidos por terem problemas com abuso de substâncias, comportamentos auto-destrutivos, tentativas de suicídio ou tragicamente tentativas que acabaram provocando morte. Hoje em dia não só vemos este tipo de coisa o tempo todo nos jornais sob a forma do comportamento auto-abusivo nas celebridades, mas também a história parece apoiar a correlação entre pessoas criativas e um tipo tipo de atitude que poderia ser facilmente interpretada como evidência do Transtorno de Personalidade Borderline.

Já foi sugerido que eram borders Vincent Van Gogh, que cortou parte de sua própria orelha e os autores Ernest Hemingway e Sylvia Plath, os dois cometendo suicídio. Eles são só alguns dos muitos ícones famosos que supostamente sofreram com o TPB. 

Os transtornos de personalidade e suas comorbidades são uma forma mais rápida de ter criatividade? Se você começas a se tratar pro TPB, abuso de substâncias ou depressão severa vai conseguir entrar em contato com seu lado artístico? O autor Stephen King já admitiu que seu maior medo quando estava trabalhando para se livrar dos vícios era perder sua criatividade. 

Aqui estão algumas razões pelas quais você não deve deixar que o medo de perder a sua criatividade o impeça de viver uma vida livre dos sintomas dolorosos do Transtorno de Personalidade Borderline:

A arte é sobre a comunicação e os relacionamentos. Recuperando-se do Transtorno de Personalidade Borderline pode significar relações mais fortes e uma capacidade de se comunicar melhor com os outros.

Entre em contato com mais de uma emoção. Recuperação irá oferecer-lhe uma gama completa de emoções, em vez de deixá-lo mergulhado em negatividade, com foco em uma emoção, e cortando possibilidade. Possibilidade é a criatividade.

Procure perspectiva. Se você acha que só pode acessar o seu lado criativo quando está triste, deprimido ou com dor, pense novamente. Como Henry Ford disse: "Se você acha que pode fazer alguma coisa, ou não pode - você está certo." Seja honesto com você mesmo sobre o que o está impedindo de dar o primeiro passo em direção à recuperação. Pergunte a si mesmo se você está usando a sua arte como uma desculpa para evitar o que pode ser uma estrada difícil de recuperação. Tente mudar sua perspectiva e imaginar a criatividade que vai saltar para a frente durante a viagem, quando você é capaz de dar uma visão mais clara de si mesmo e para o mundo ao seu redor.

Lembre-se que sua criatividade pertence a você, não ao seu transtorno. Experiências com um meio que você não costuma usar pode ajudá-lo a acessar a sua criatividade - e suas emoções - em um novo plano. Por exemplo, se você costuma pintar, tente escultura ou cerâmica. Se você é um compositor, tente desenhar as emoções que você deseja expressar ao invés de expressá-los através da música. 

Ioga e meditação também podem oferecer um meio para a criatividade que os seus sintomas costumavam fornecer. Você pode se surpreender com as novas idéias e nova criatividade que vem de ser um com o seu corpo e mente.



3 comentários:

  1. aconteceu comigo, passei a postar menos no blog com o tratamento, não vem aquela inspiração como quando comecei o blog que não sei explicar da onde que vem, não brotam mais frases do nada que eu nem sei explicar o porque daqueles pensamentos... estou menos produtiva (é claro que a falta de tempo também ajuda, pois passei um bom tempo acamada, muito depressiva, no ócio puro e produzindo vários textos, agora com a faculdade ativa, projetos de estágio, monografia, psicoterapia e arranjando tempo pra vida social fica mais difícil ter "ócios produtivos"). A minha psiquiatra diz que é porque estou resolvendo minhas questões na terapia, tentando entender, colocando pra fora por meio de palavras, então já me expresso e sinto menos necessidade de colocar as angústia no papel, como o tempo também tá curto não reclamo muito. Mas sinto falta das inspirações do nada, por enquanto postos textos antigos, pois tenho mania de escrever e guardar, srrsrsr.

    ResponderExcluir
  2. acho que não dá pra acessar meu blog pois não tenho perfil, coloco aqui o link, para caso tiverem curiosidade:

    http://normalidadequestionavel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Comigo está acontecendo isso, é difícil lidar com essa falta de intensidade, emoção e a inspiração que vem disso. Eu iniciei um blog pq estava me expondo demais no facebook, e quando desativei achei que deveria ter um lugar só meu pra escrever. Mas não percebi que estava chegando num momento igual ao que foi citado no comentário acima. Da mesma forma posto pedaços do meu diário e procuro escrever sobre aquilo mas não é mais a mesma coisa.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.