Amigos:

31 de out de 2013

De um sobrevivente a outro.




Graças ao magnífico fato de Minas Gerais ser uma terra onde tudo prospera, menos a tecnologia, vai minha postagem com mais de 12hs de atraso....

Todos sabem que tenho uma história longa e intrincada com uma border e que no meio do caminho passei a ser um pouco referência para alguns outros familiares...
Acontece que entre os familiares que acompanho, um se destaca por ter uma história absolutamente IDENTICA a minha... ele também escritor, também adepto da poesia e, como não podia deixar de ser, também castrado em sua escrita pela desqualificação de sua parceira... Segue então o fruto de nossa última conversa, onde falávamos da capacidade de dar manutenção à própria identidade em detrimento do relacionamento e, do escrever sim, independente do que isso acarrete na visão do parceiro... pq, se para o border é importante a expressão dos sentimentos, para quem convive com ele e tem esse veio de escrita (ou qualquer outra forma de expressão) barrado, castrado, mutilado ou o que seja... o caminho para o abandono da própria sanidade está deveras encurtado, sem dó e sem piedade... 



"Então, meu irmão....

Tudo dará certo e virá a seu tempo...
Faze de tua dor o alimento de tua escrita...

Não há nada que bloqueie a arte que corre em tuas veias...
Nada além de tua própria necessidade de nutrir-se de tua dor e fazer dela tua amante unica exclusiva e ciumenta.
diletante é o sentimento de posse da dor que nos asssoma e incapacita o fluxo venal da arte que teu próprio coração bombeia...

Existe ai dentro, assim como sangue e linfa, beleza e dor....
outra...
Podes nutrir a dor, mas tua arte sucumbirá
Podes nutrir a tua

Resta a ti meu caro irmão saber separa-las e nutrir uma com a
arte.... mas apenas se fores capaz de desapegar-se da tua dor e dividi-la com o externo..."


2 comentários:

  1. Boa tarde Eilan.. foi por desilusões no amor que escrevo até os dias de hj.. peguei muito pesado.. abordei muita coisa, temas que muita gente treme na base e que eu me divertia.. enfim.. a dor é um impulso, só não pode ser a destruidora de vidas que nasceram para brilhar.. lindo dia grande abraço

    ResponderExcluir
  2. cool! jah tive meu período escrevendo, por uns 5 anos lancei o zine "Welcome to the Suffering", e nem sabia da minha doença... ultimamente, fora os cortes, tenho escrito alguma coisa novamente... quem sabe publique... abraço, me visitem: Coveiro bipolar blogspot!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem-vindo. Mas se você for um desocupado e quiser esculhambar, por favor faça um favor a si mesmo e poupe seu tempo e o meu, ok?

Moderei os comentários, então o que você escreveu vai ser lido por mim antes de aparecer.